Servidores do IGESDF são homenageados em sessão solene

Além de reconhecer o trabalho dos servidores, Agaciel Maia afirmou que a Câmara Legislativa deve votar na próxima terça-feira um crédito no valor de R$ 311 milhões para que o instituto honre seus contratos

Os servidores do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGES-DF) receberam, na manhã desta sexta-feira (24), homenagem da Câmara Legislativa com a realização de uma sessão solene proposta pelo deputado distrital Agaciel Maia (PL). O parlamentar elogiou o empenho dos trabalhadores e defendeu mais recursos para a manutenção do instituto.

“Quero reconhecer oficialmente a qualificação profissional de quem está à frente do atendimento no IGES-DF. E temos que fazer uma batalha para construir um orçamento para o IGES que seja compatível com a responsabilidade do instituto”, afirmou Agaciel. O distrital também frisou que o IGES-DF não pode pagar pelas más gestões do passado.

Segundo Agaciel Maia, a Câmara Legislativa deve votar na próxima terça-feira um crédito no valor de R$ 311 milhões para que o instituto honre seus contratos. “Esse crédito deve durar até setembro. Mas vamos continuar lutando por mais créditos para que todos os contratos do IGES-DF sejam honrados até o fim do ano”, garantiu.

Publicidade

A diretora-presidente do IGES-DF, Mariela Souza de Jesus, reforçou a necessidade de destinação de recursos para o instituto. “O IGES-DF e principalmente o Hospital de Base, precisa sim de manutenção, investimento, novos equipamentos. Além disso, também precisamos de recursos para chegar até o fim do ano pagando os salários em dia e comprando os insumos médicos”, afirmou.

A diretora-presidente também observou que “os milhares de atendimentos com excelência não são retratados pela mídia” e que “uma eventualidade, um deslize no IGES-DF não pode pesar sobre a imagem do instituto”.

O deputado Jorge Vianna (PSD) observou que a legislação criada para regulamentar o IGES-DF traz dificuldades para o instituto. “Fizeram uma lei totalmente esdrúxula para o Hospital de Base. Engessaram o orçamento e não previram o crescimento vegetativo da folha. O IGES não pode comprar equipamento, apenas fazer manutenção. Isso é um absurdo”, reclamou.

Para o distrital, a saída seria a transformação do IGES-DF em uma fundação. “O IGES-DF poderia funcionar no mesmo modelo da Fundação Hemocentro”, sugeriu.

O diretor de Atenção à Saúde do IGES-DF, Nestor Francisco Miranda Júnior parabenizou os trabalhadores do instituto pela dedicação e criticou os episódios de violência contra funcionários de UPAs no Distrito Federal. “Temos sido vítimas de agressões de uma população muitas vezes desesperada. Se a qualidade do nosso serviço é motivo de agressão contra nossos colaboradores, temos um descompasso. Pode-se chegar a uma falsa conclusão de falta de qualidade, o que não é verdade”, afirmou.

Ao final da solenidade foram entregues moções de louvor para servidores da instituição que prestam relevantes serviços à sociedade do Distrito Federal.

FONTEAgência CLDF
Artigo anteriorConcurso vai selecionar novos médicos, enfermeiros e cirurgiões dentistas para rede pública
Próximo artigo300 Técnicos em Enfermagem ganham ampliação de carga horária para 40h no DF