Dados pessoais e de transações financeiras eram capturadas por aplicativos piratas. Seis são presos por crimes contra a propriedade intelectual

Operação contra pirataria prende seis pessoas em três estados brasileiros, além de Estados Unidos e Reino Unido. Somados, aplicativos distribuíam, ilegalmente, 10,2 milhões de downloads

Print Friendly, PDF & Email

Por Kleber Karpov

O Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJ), deflagrou, na terça-feira (21/Jun), a quarta fase da Operação 404, em que se prendeu ao menos seis pessoas em três estados. A operação, integrada por polícias civis de onze unidades da federação, contra a pirataria também contou com cooperação internacional, nos  Estados Unidos e o Reino Unido. De acordo com informações do MP, ao todo, no Brasil, foram realizadas três prisões temporárias, na Bahia, além de duas em flagrante em Minas Gerais, três em São Paulo, e uma em Goiás.

Essa fase da operação focou o combate a aplicativos piratas de música, que ofereciam conteúdos de artistas populares, como Alok, Barões da Pisadinha e Marília Mendonça. De acordo com o MJ, 461 aplicativos ilegais foram tirados do ar. Juntos, somavam mais de 10,2 milhões de downloads.

Publicidade

Dados pessoais e financeiros

Também segundo o MJ, aproximadamente 75%, equivalente a 345 aplicativos, dos 461 tirados do ar, além de cometerem crime contra a propriedade intelectual por distribuírem músicas sem autorização, capturavam dados sensíveis dos usuários, como dados pessoais e até informações de transações financeiras.

 

VIAAgência Brasil
Artigo anteriorReceita Federal deixa de exigir autenticação de documentos
Próximo artigoPesquisadores identificam método capaz de prever gravidade da covid-19