“O BRB saiu de páginas policiais e está nas de economia de qualquer jornal desse país” afirma Ibaneis

241


Print Friendly, PDF & Email

Governador do DF, falou da reestruturação do BRB e sobre abertura de agência em Piauí, que deve retornar em ativos provenientes de parceria com Fecomércio

Por Kleber Karpov

O recado do governador Ibaneis Rocha (MDB), ocorreu, na primeira sessão da Câmara Legislativa do DF (CLDF)(4/Fev), que marcou o início das atividades naquela casa legislativa. Sem mencionar o veículo, Ibaneis falou sobre a reestruturação do Banco de Brasília (BRB) que começa a dar retorno ao Distrito Federal. O chefe do Executivo aproveitou a oportunidade para responder ainda, sem apontar o veículo, críticas e questionamentos realizados pelo site de notícias, O Antagonista (31/Dez/19)(Veja Aqui) .

Durante o discurso, sobre as realizações do ano anterior e, expectativas para 2020, Ibaneis lembrou que retirou o BRB, das páginas policiais e passou a figurar, as de economia da imprensa brasileira.

“A exatamente um ano atrás nos tivemos a operação ‘Circus Maximus’ que prendeu os dirigentes do BRB. E veja qual é a situação hoje. É um banco que tem a menor taxa de financiamento imobiliários, as menores taxas de empréstimos consignados para os nossos servidores. É um banco que saiu das páginas policiais e está nas páginas de economia de qualquer jornal desse país. É o que mais financiou no imobiliário, depois da Caixa Econômica e está ajudando os empresários do Distrito Federal.”,

Publicidade

Piauí

Na ocasião, Ibaneis respondeu ainda as críticas por parte do site de notícias, O Antagonista, que questiona o motivo da abertura de uma agência em uma cidade do interior do Piauí. Segundo Ibaneis, tal iniciativa se deu para atender o empresariado piauiense, mas ocorreu em decorrência de investimento de R$ 200 milhões, por parte do vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio (CNC), naquele estado, no DF.

“Eu vi uma crítica de, por que eu fui para o Piauí instalar uma agência do BRB na Fecomércio. Faço questão de explicar porque é bom que se explique. No início do ano passado fui visitar o presidente do CNC. E ele disse, Ibaneis, vou fazer um investimento de R$ 200 milhões no Distrito Federal. Vou construir um hotel escola, um restaurante escola e uma plataforma de fornecimento de alimentação. Eu gostei muito da conversa e o vice-presidente da CNC é o professor Valdecir, um professor de Direito, lá do Piauí, e tive o prazer de reencontrá-lo lá. Eu digo, vamos fazer uma parceria com o BRB, traga as contas da Fecomércio, que vamos gerenciar, e ele disse: – Perfeito. A primeira que assinamos foi com a do Distrito Federal, e não a do Piauí, do nosso querido Chico Maia, que fez um trabalho lindíssimo, ao longo do ano, em parceria com o Distrito Federal. Nós tivermos um Natal monumental, bancado quase que por exclusividade pela Fecomércio. E eles começaram a transferir os recursos, que eles têm, e é muito, para o BRB. É daí que está surgindo o dinheiro do BRB para financiar essas coisas. Então, trouxemos agora a Federação do Comércio do Piaui. Instalamos uma agência para atender o empresariado do Estado. No dia 18 [de fevereiro] estarei em Belo Horizonte, vou trazer a conta da Fecomércio de Minas Gerais,   também para o BRB para que sejamos  o banco de fomento deles. E eu vou trazer todo o grupo da Fecomércio.”.

Na ocasião, Ibaneis informou ainda, que a previsão do BRB para captação de CDB – Certificado de Depósito Bancário – era de R$ 1 bilhão. E em dois meses, o banco deve bater a meta estimada em R$ 1,2 bilhão, além de chegar ao final de 2020 com R$ 4 bilhões. “Então não pense que estou fazendo a coisa de ‘oba-oba’. Estou fazendo para recuperar um dos maiores instrumentos de desenvolvimento que essa cidade tem que é o Banco de Brasília.”, anunciou Ibaneis.

O governador informou ainda, que a direção do BRB, não sofre interferências por parte do  Executivo. “Sabe quantos diretores do BRB eu conheço? Só o presidente [Paulo Henrique]. Trouxe o vice-presidente de Negócios, da Caixa Econômica Federal, botei como presidente do Conselho, o ex-presidente da Caixa e ex-presidente do Banco do Nordeste do Brasil, Nelson Dantas e eles nomearam toda sua diretoria, sem nenhuma interferência. Não indiquei uma diretoria no BRB, o que era o sonho de todos os políticos, e eu não deixei. Porque aquilo é o maior instrumento de desenvolvimento que temos na nossa mão.”, afirmou Ibaneis.

Confira a fala de Ibaneis

 

Parceria

Na terça-feira (11/Fev), em outra matéria de O Antagonista, o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), defendeu a parceria do Estado com o governo do DF. “O BRB é um banco sólido e com boa capacidade de investimento. Celebramos uma parceria com a Agência de Fomento do Piauí, que também é sólida, tem uma ótima experiência em microcrédito, baixíssima inadimplência e uma presença no estado em parceria com bancos populares”, argumentou Dias.

Com informações de O Antagonista