Secretaria de Saúde registra 16 mortes e 19,8 mil casos de dengue no DF em 2019

153


Print Friendly, PDF & Email

Casos superam em 12 vezes 1.676 casos registrados em 2018

Por Kleber Karpov

A Secretaria de Saúde do DF (SES) divulgou, nesta terça-feira (21), o novo boletim epidemiológico sobre a incidência de casos de dengue. De acordo com a pasta, entre janeiro e 11 de maio, 19.812 casos da doença foram contabilizados. Desses, 97,1% de pessoas residentes no DF.

De acordo com o diretor de Vigilância Epidemiológica da SES-DF, Délmason Carvalho, o DF contabiliza ainda 16 óbitos confirmados na capital, com o agravante da predominância do vírus tipo II, mais agressivo que o tipo I.

“Isso acontece porque a gente vinha tendo apenas o tipo I e, assim, acumulávamos pessoas com anticorpos, diminuindo a quantidade de pessoas suscetíveis ao vírus. Quando começa a circular um vírus diferente, mais pessoas têm maior probabilidade de ser contaminadas, e aí ocorre uma epidemia”, explicou.

Publicidade

Escalada

Registros apontados por boletins epidemiológicos, desde fevereiro, demonstram uma escalada dos números nos casos de dengue no DF. Apenas entre os dias dois e 16 do fevereiro, houve um aumento de 253% de registros. Um salto de 451 para 1.142 casos em 14 dias.

De 16 de fevereiro a 23 de março, o crescimento foi de 504%. Os casos passaram de 451 para 5.759 registros de dengue no DF. No intervalo de um mês seguinte (23/mar), mais um aumento acentuado de 290%. Os boletins seguintes apontaram uma escalada para 8.985 casos em 6 de abril, 12.038 (20/Abr), 14.436 (27/Abr) e 19.812 (11/Mai), respectivamente.

O caso chama atenção, pois mesmo após o governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), mobilizar o Exército Brasileiro e intensificar as ações de combate a dengue com a ajuda de 400 militares. Porém, os casos aumentaram, consideravelmente.

São Sebastião

A SES-DF, no entanto, aponta uma redução de casos de dengue na Região Administrativa São Sebastião. Segundo a pasta, houve uma queda de 32% dos casos. “Foram 265 casos em janeiro contra 180 em abril. O resultado é fruto da parceria com a comunidade. Até agora, só a Vigilância Ambiental visitou 20.263 imóveis, alertando para os cuidados na prevenção.”, aponta o GDF, por meio da Agência Brasília.

Porém…

A queda nos índices de casos de dengue em São Sebastião, pode ter outra variável para tal sucesso. A ação resultante de pesquisa realizada pelo Núcleo de Medicina Tropical da Universidade de Brasília (UnB). Realizada na Região Administrativa (RA), desde dezembro de 2017, os pesquisadores, contabilizaram, em março desse ano, a redução de 80% na quantidade de mosquitos da dengue na RA.

 

Fumacê

De acordo com a subsecretária de Vigilância à Saúde, Elaine Morelo, os problemas que resultaram na interdição da Central UBV, interditada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT)(14/Mai), após encontrar falhas estruturais e questões ligadas aos servidores, foi corrigida.

“Com relação à estrutura da central, fizemos as devidas correções. Com os servidores que há 20 anos trabalham no local e consideramos que sejam capacitados, fizemos uma atualização teórica e prática, com o apoio da Fepecs e também atualizamos os exames periódicos”, elencou, explicando que aguarda nova visita do órgão para liberar o local.

Dicas para evitar a doença:

  • Caixas d’água com tampas
  • Areia nos vasos de plantas
  • Evite material em desuso que possam acumular água parada
  • Limpe as calhas
  • Redobre a limpeza das piscinas e aquários
  • Use inseticidas e larvicidas nos lugares onde há água parada que não pode ser eliminada.
  • Use repelente sempre que possível

Curiosidades:

  • Os ovos do mosquito podem ficar até 450 dias sem água e sem se transformar em larva.
  • O mosquito macho pode passar o vírus da Dengue para seus descendentes.

Com informações de Agência Brasília