15.5 C
Brasília
13 jul 2024 09:37


Mesmo com esquema criminoso de tentativa de sabotagem de assembleia, carreira da GAPS reúne cerca de 1.000 servidores

Servidores deliberaram sobre reestruturação da carreira GAPS

Por Kleber Karpov

O Movimento Unificado pela Associação dos Servidores Públicos da Saúde do  DF (ASPSES-DF), Sindicato dos Técnicos e Tecnólogos e Auxiliares em Radiologia do Distrito Federal (SINTTAR/DF) E Sindicato dos Trabalhadores Técnicos e Auxiliares em Saúde Bucal do DF (SINTTASB-DF) conseguiu reunir cerca de 1.000 servidores da Secretaria de Estado de Saúde do  DF (SES-DF) da carreira de Gestão e Assistência Pública à Saúde do Distrito Federal (GAPS), no auditório da Câmara Legislativa do DF (CLDF), para tratar da reestruturação de carreira da categoria.

A presença maciça da categoria surpreendeu a coordenadora da ASPSES-DF, Silene Almeida, que se tornou vítima da ação de criminosos, que tentaram desmobilizar os profissionais de saúde, na noite de quarta-feira (19/Jun), anterior ao dia da assembleia. De acordo com a coordenadora da ASPSES-DF, os marginais, fizeram uso de um áudio manipulado, por meio inteligência artificial e montagem com a voz da coordenadora da ASPSES-DF, sobre o cancelamento, mentiroso, da assembleia.

“Tirando as vítimas dos sabotadores, pois muitos mandaram mensagem questionando: -Silene não vai ter assembleia? Isso já eram umas nove horas. Então atingiu um torno de umas duzentas pessoas, mas tinha seguramente umas mil pessoas. Tinha gente no chão, nas galerias, foi uma coisa de louco.”, disse Silene Almeida.

Com auditório lotado, servidores tiveram que ficar nas galerias ou sentados no chão – Foto: Cedida do PDNews

Adesão da categoria

Para Alessandro Araújo, presidente do SINTTAR-DF, que junto ao SINTTASB-DF e a ASPSES-DF, atuam para compor a reestruturação da carreira da GAPS, a assembleia foi um sucesso, sobretudo por estar ‘antenada’ aos anseios da categoria.

“A assembleia foi um sucesso, por conta da adesão dos servidores que se fizeram presente. Essa reunião foi de suma importância para as nossas tratativas e esse sucesso se deu justamente pela alta adesão dos servidores. A nossa pauta que está sendo apresentada ela realmente é o que a categoria almeja para a carreira. Em uma próxima reunião da categoria contamos com a presença de mais servidores.” disse Araújo.

GAPS lotam auditório da CLDF para tratar de reestruturação de carreira da categoria – Foto: Cedida ao PDNews

Para o representante dos técnicos em Laboratório, André Ângelo, “O movimento mostrou que a categoria entendeu e abraçou o propósito do movimento unificado e está confiante. Sabemos que não é uma luta fácil mas com o apoio da categoria, ainda que haja dificuldades, vamos conquistar grandes resultados. Muitos foram de carona, não precisamos oferecer nada para que a categoria fosse na nossa assembleia. Isso nos impactou muito. Unidos somos muito mais fortes.”, disse Ângelo

O presidente da ASPSES-DF, Helio Nascimento também referendou o adesão da categoria ao Movimento Unificado, criado pelos próprios servidores, que apresentaram as demandas, defendidas na reestruturação da carreira. “Apresentamos nossa proposta de recomposição salarial que foi por unanimidade aprovada em Assembleia conjunta, demonstrando que ela realmente vêm de encontro ao as categorias esperam de uma representação que os houve e reconhece a sua soberania. Tivemos a fala do Deputado João Cardoso, que mais uma trouxe o seu compromisso com a carreira, que já é comprovada com ações concretas, como o requerimento da Audiência Pública, ano passado, a destinação de recursos para a reestruturação da Carreira e outras ações, igualmente importantes.” disse Nascimento.

Nascimento observou ainda a importância da presença dos parlamentares na assembleia da categoria. “O Deputado Fábio Félix, também expressou o seu apoio ao Movimento Unificado, de forma categórica. Não menos importante foi a fala do Deputado Jorge Viana, até porque a carreira dos Técnicos de Enfermagem que é sua base, encontra-se nas mesmas condições de abandono, quando a questão salarial por parte do governo. Diante de todo esse cenário, não há como não acreditar que o Senhor Governador se sensibilize com essa situação, que é uma questão de justiça, como questão de justiça, deve ser, o nosso Governador Ibaneis repensar a sua fala, quanto a ter que colocar a mão no bolso do contribuinte, para poder atender essas categorias. Não se sustenta! O que falta é isonomia, para com todos os servidores, não merecemos ser responsabilizados por falta de critérios justos por parte da Gestão Pública.”.

Para a presidente do Sinttasb-DF, Solange Bezerra, apontou ao resgate dos profissionais de saúde bucal, por muitos anos no ostracismo em relação à representatividade enquanto categoria. “Nós, trabalhadores auxiliares e técnicos em saúde bucal fomos negligenciados por muitos anos, não apenas dentro da SES-DF, mas em todos os espaços da odontologia brasileira, por falta de representação específica. Porém, esse quadro vem mudando. Hoje temos um sindicato próprio, por especificidade que entende e vive a dor do dia-a-dia do trabalhador ASB [Auxiliar de Saúde Bucal] e TSE [Técnico em Saúde Bucal]. E não vamos mais admitir qualquer tipo de negligência frente aos nossos direitos, sejam eles salariais ou sociais.”, disparou.

Silene Almeida por sua vez completou ao agradecer o apoio irrestrito da categoria GAPS. “Ficamos felizes com o apoio ostensivo dos servidores, incluindo os aposentados, que atenderam nosso chamado para essa luta. Ver esse auditório lotado pela segunda vez, por essa categoria tão desvalorizada e tão importante para a Saúde Pública do DF nos enche de alegria e também de responsabilidade. Era perceptível a esperança estampada nos olhos de nossos colegas. Credibilidade! Essa é a palavra que define o sucesso da nossa assembleia. E, claro, a Graça Divina que não nos falta e nos fortalece. Por isso, iniciamos com a oração do Pai Nosso. É uma grande luta, mas ‘se Deus é por nós, quem será contra?'”, pontuou.

Apoio à GAPS

A assembleia conto com a presença dos deputados distritais, João Cardoso (Avante), Fábio Félix (Psol), Jorge Vianna (PSD), além de a distrital Dayse Amarilio ter enviado mensagem em apoio aos profissionais da carreira GAPS.

Representatividade em baixa?

O caso chama atenção pois alguns motivos um desses é que a tentativa de sabotagem da assembleia partiu de um grupo, conhecidamente vinculado ao SindSaúde-DF em que a própria presidente interina da entidade, Marli Rodrigues, participa.

Nesse contexto, vale um resgate do esforço de o SindSaúde-DF, arregimentar a categoria GAPS, com gastos milionários, a exemplo de anúncios em painéis prediais, ou ainda de contratação do ex-ministro da Justiça, o advogado constitucionalista, Eduardo Cardoso, para tratar de demandas da carreira GAPS no Supremo Tribunal Federal (STF).

Gastos esses que, na assembleia organizada pelo SindSaúde-DF, no Clube da Saúde, com direito a petiscos, a entidade sequer conseguiu compor quórum para deliberação da categoria. Caso esse coberto por PDNews (Veja Aqui), com um auditório com cerca de 200 pessoas, com a ponderação que apenas a estrutura da direção e de delegados sindicais da entidade praticamente superam tal número.

Ou ainda, em outro comparativo, uma vez que em paralelo a assembleia da GAPS realizada pela ASPSES-DF e entidades sindicais vinculadas à categoria, na CLDF, o SindSaúde-DF também realizou uma no Hospital Regional do Gama (HRG), reduto profissional de Marli Rodrigues. Evento esse que contrariou a convocatória de ampla participação dos servidores de saúde vinculados ao Sindicato, o que inclui os profissionais de Gestão da Atenção Primária à Saúde.

Assembleia SindSaúde-DF no HRG – Foto: Cedida ao PDNews

Investigação da PCDF e CLDF

Em relação à manipulação de audio com a voz de Silene Almeida, para além do registro de boletim de ocorrência realizado na Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), a coordenadora da ASPSES-DF explicou que o deputado distrital, João Cardoso acionou o presidente da CLDF, deputado Wellington Luiz (MDB) e que deve ser aberto um procedimento de investigação sobre o áudio criminoso que partiu de um grupo do whatsapp.

Mensagem fake com divulgação de áudio manipulado para tentar desmobilizar assembleia da categoria GAPS na CLDF
Presidente do SindSaúde Marli Rodrigues pertence ao grupo de onde saiu mensagem postada por criminoso denunciado à Polícia Civil do DF – Foto: Cedida ao PDNEws.

Estranhamente, o grupo de onde surgiu a publicação criminosa é o mesmo em que outro criminoso, diretor do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde de Brasília (SindSaúde-DF), Rodrigo Conde, publicou dados pessoais desse articulista (11/mar). Caso esse denunciado por PDNews (Veja aqui).

Diretor do SindSaúde-DF comete crime ao divulgar dados pessoais de jornalista em retaliação a publicação de matérias sobre indiciamento policial da cúpula da diretoria do sindicato. – Fonte: Cedida a PDNews.

 

LEIA TAMBÉM

PD nas redes

FãsCurtir
SeguidoresSeguir
SeguidoresSeguir
InscritosInscrever