Print Friendly, PDF & Email

Uma premissa norteia o trabalho da diretora Eline Bastos, do Centro de Ensino Fundamental (CEF) 07 de Sobradinho: o ensino vai além do cognitivo, é também afetivo. Com essa crença em mente, ela criou o projeto Florindo Vidas, que homenageia trabalhadores da saúde. “Queríamos enfatizar a importância dos profissionais de saúde nesse período tão crítico e contribuir para o ensino de maneira mais lúdica”, explica.

A iniciativa consiste em algo aparentemente simples, mas que torna-se difícil porque é rara nos dias atuais: a produção de textos em forma de recado em que o emissário expressa emoções positivas, como carinho, empatia, gratidão. Escritos, os textos foram entregues a médicos, enfermeiros, auxiliares da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Sobradinho e do Hospital Regional de Sobradinho.

“Queríamos enfatizar a importância dos profissionais de saúde nesse período tão crítico e contribuir para o ensino de maneira mais lúdica”Eline Bastos, diretora do CEF 07 de Sobradinho

O estudante Luiz Flávio dos Santos, do 7º ano, abraçou a iniciativa. “Queria enviar uma mensagem positiva aos profissionais de saúde. É o mínimo que podemos fazer para retribuir o trabalho e o cuidado que eles têm com a gente”, reconhece.

O podcast EducaDF desta semana aborda o projeto de escrita afetiva do CEF 07 de Sobradinho para homenagear os profissionais de saúde. Eles fazem parte do grupo de risco para a covid-19 porque estão diretamente em contato com os pacientes infectados, além de vivenciarem situações de intenso sofrimento psíquico. Confira o podcast  nas plataformas de áudio.

Os professores também se entusiasmaram com a possibilidade e, além de ensinarem sobre gênero textual e regras gramaticais, incentivaram a empatia. Para o professor Rafael Galvão, vivemos um momento ímpar. “É preciso reconhecer e valorizar os profissionais de saúde que tanto se dedicam aos pacientes acometidos por essa grave doença. O projeto contou com a participação extraordinária dos estudantes e o objetivo da iniciativa foi alcançado com sucesso”, elogia.

Já para a professora Caroline Ramos, a iniciativa acendeu em cada um a chama da generosidade. “Os trabalhadores de saúde estão na mesma situação de pandemia, mas precisam corresponder às expectativas de maneira diferente. Foi preciso sair de nós mesmos para escrevermos palavras de ânimo e de apoio a eles”, afirma.

Heróis da saúde

Os trabalhadores de saúde recebem uma alta carga viral por estarem expostos diretamente aos pacientes infectados. Além disso, são submetidos a muita pressão e estresse emocional o que pode levar à exaustão e sofrimento psíquico. Por isso a entrega das cartas na quarta, 31, na UPA de Sobradinho e no Hospital Regional de Sobradinho emocionou a equipe.

“Fizemos tudo com muito carinho e cuidado. Os textos foram editados pelos professores, as cartas foram envelopadas e tudo foi esterilizado. Além da empatia, outra lição importante é o autocuidado e o cuidado com o outro”, diz a diretora Eline.