Dentista e enfermeira são encontrados mortos em apartamento de Águas Claras (DF)

5915
Print Friendly, PDF & Email

Investigação trata caso como suposto caso de feminicídio de servidora que sempre atuou em defesa da Enfermagem

Por Kleber Karpov

Nesta quinta-feira (30/Jul), a enfermeira Pollyanna Pereira de Moura, 35 anos, e cirurgião dentista, lotado no Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), Fabrício David Jorge, 42, foram encontrados mortos, dentro do apartamento em que moravam, em Águas Claras. Cedido ao Hospital Regional de Taguatinga (HRT), Jorge estava afastado, do trabalho, por ter testado positivo para o coronavírus (Covid-19).

Informações preliminares apontam que dentista fez contato com colega de trabalho,  após esfaquear Pollyanna Pereira, para avisar assassinato da esposa. Relatos dos militares que atenderam a ocorrência apontam que Jorge foi encontrado, também sem vida, com dois cortes, um deles, no pescoço.

Guerreira I

O deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos), publicou Nota de Pesar e lembrou que Pollyanna sempre atuou em defesa da categoria da Enfermagem. “Pollyanna era uma grande amiga, e esteve comigo no gabinete, há poucos meses, onde tratamos de demanda dos enfermeiros forenses.”.

O caso em questão se refere a mobilização por parte de enfermeiros, para a criação do cargo de Enfermeiro Forense, no âmbito da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), projeto esse apresentado pelo deputado, por meio do PL 368/2019, em tramitação na Câmara Legislativa do DF (CLDF).

Segunda, da esquerda para a direita, Pollyanna Pereira, recebidos por Jorge Vianna, junto com representantes do Cofen e Coren-DF defendiam a categoria da Enfermagem Forense – Foto: Wilter Moreira
Segunda, da esquerda para a direita, Pollyanna Pereira, recebidos por Jorge Vianna, junto com representantes do Cofen e Coren-DF defendiam a categoria da Enfermagem Forense – Foto: Wilter Moreira

Guerreira II

Segundo o deputado, Pollyanna, recentemente, compôs a equipe de profissionais de saúde, que se voluntariaram para atuar em Manaus (AM), para ajudar a tratar as vítimas do coronavírus na capital do Amazonas.

Pollyanna Pereira com colegas, em defensa dos Enfermeiros – Foto: Divulgação
Pollyanna Pereira com colegas, em defensa dos Enfermeiros – Foto: Divulgação

Assistência psicológica

O deputado, além de cobrar uma investigação ágil por parte das autoridades, dado a suspeita de feminicídio, que o GDF, garanta suporte psicológico aos profissionais de Saúde do DF, sobretudo, durante esse período de luta contra o coronavírus. “O digo pois são recorrentes, as manifestações e queixas desses profissionais, sobretudo os que atuam na linha de frente, em relação a necessidade de tal suporte.”. (Confira a nota na íntegra).