Deputado Lira vira alvo de retaliação de Rollemberg por CPI da Saúde?

142


Print Friendly, PDF & Email

Exoneração de administrador de São Sebastião é vista como retaliação por conta de nova CPI

Por Denise Caputo

A exoneração do administrador regional de São Sebastião, Jean Duarte de Carvalho, e de outros indicados do deputado Lira (PHS) motivou pronunciamentos de diversos distritais na sessão da Câmara Legislativa desta terça-feira (10). Alguns enxergaram no ato do governador Rodrigo Rollemberg uma espécie de retaliação por conta da criação da CPI da Saúde, e outros insistiram na necessidade de “reconciliação” do governo com o distrital.

“Quando o governador se posiciona contra a minha pessoa, acaba indo contra as pessoas de São Sebastião. Fui eleito pelo povo, e tenho a consciência tranquila de que sempre fiz tudo o que pude para ajudar o governo a resolver os problemas da cidade”, desabafou Lira. Emocionado, o distrital – que liderou a criação da CPI da Saúde – defendeu a independência entre os poderes Legislativo e Executivo e questionou: “Onde está a minha deslealdade? Não sou empregado do governador”.

A presidente da Casa, deputada Celina Leão (PPS), se disse surpresa com a exoneração de cargos ocupados por indicação do colega. “Sabemos do empenho do deputado Lira na CPI. Foram 18 assinaturas, o Parlamento tem de poder trabalhar”, afirmou. E completou: “Quando um deputado é ameaçado por cumprir sua função precípua, isso é muito grave. Um deputado não pode ser perseguido por ter coragem de fiscalizar”. Celina ainda argumentou que Lira é da base governista e é “extremamente leal”. Ela aproveitou para cobrar do GDF o envio de projeto para a eleição dos administradores regionais.

Também solidário ao colega, o deputado Raimundo Ribeiro (PPS) criticou o ato do governador dizendo não ter sido um “tratamento republicano”. “Me surpreende porque o governador é um homem que construiu a carreira política no Parlamento”, afirmou.

Publicidade

Já o deputado Agaciel Maia (PR) discursou em prol da cidade de São Sebastião, defendendo que a comunidade precisa contar com o apoio tanto do deputado Lira como do governo do Distrito Federal. “É uma cidade carente, que só tem 20 anos. Precisamos afastar as ‘futricas”. A reconciliação do distrital com o governo vai ser bom para a população. A desagregação é ruim para todos”, argumentou.

Transporte escolar – Ainda durante a sessão desta tarde, o líder do governo na Casa, deputado Júlio César (PRB), anunciou a assinatura de um decreto pelo governador, na quinta-feira (12), regulamentando o transporte escolar no DF. Ele explicou que essa é uma demanda antiga dos trabalhadores autônomos que “há anos são autuados pelo Detran”, sem condições legais de trabalho.

Violência – O deputado Chico Vigilante (PT) voltou a reclamar dos índices de violência no DF. “Este final de semana pessoas foram assassinadas, casas arrombadas e ônibus assaltados”, disse. Ele lamentou o déficit de policiais civis e militares em exercício e defendeu a exoneração da atual secretária de Segurança.

O deputado Wasny de Roure (PT) pediu o “reaparelhamento das delegacias” por meio da contratação de mais policiais civis. Segundo ele, há diversos aprovados em concurso da entidade, em situação de “excedente”, à espera de nomeação. Em resposta, Júlio César informou estar em contato com o diretor da Polícia Civil para avaliar a possibilidade de prorrogação do prazo de validade do certame.

Fonte: CLDF