Ministro Edson Fachin passa a compor a Segunda Turma e assume Lava Jato

Print Friendly, PDF & Email

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, deferiu o pedido do ministro Edson Fachin para que ele passe a compor a Segunda Turma. A transferência foi possível porque os outros integrantes da Primeira Turma declinaram da mudança. Indicado ao STF pela ex-presidente Dilma Rousseff, afastada por meio de impeachment em 31 de agosto de 2016, O ministro Edson Fachin entra na vaga do ministro Teori Zavascki, falecido no mês passado e por sorteio assume os processos da Lava Jato.

O sorteio foi realizado entre os ministros da Segunda Turma que, além da chegada de Fachin, também é composta pelos  ministros Dias Toffolli, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Celso de Mello.

Lava Jato

Cerca de 40 inquéritos estão em tramitação no STF que deve analisar aproximadamente 100 delações premiadas. A ministra, Carmen Lúcia chegou a assinar  a homologação das 77 delações premiadas de executivos e ex-dirigentes da empreiteira Odebrecht.

Ao menos 364 pessoas são investigadas no Supremo no âmbito da Operação Lava Jato, segundo o balanço mais recente divulgado pelo Ministério Público Federal (MPF), muitas delas políticos no exercício do mandato parlamentar.

Com informações de STF e Agência Brasil

0