“Reforma de Rollemberg ao ‘cortar’ gastos do GDF é fictícia”, afirma especialista em gestão pública

15
Print Friendly, PDF & Email

Uma das medidas adotadas pelo GDF para conter gastos é a exoneração de servidores que ocupam cargos de chefia nas administrações regionais. Porém, especialista em gestão pública, que não deseja ser identificado, aponta ao Política Distrital, que essas vagas, de acordo com publicação da folha  suplementar do Diário oficial do DF (DODF)(14/Set), foram preenchidas por pessoas em cargos comissionados. De acordo com especialista Rollemberg está trocando ‘seis por meia dúzia’.

De acordo com o especialista, ao se analisar a folha suplementar do DODF, percebe-se que os servidores efetivos em cargos em comissões perderam as funções, para os comissionados, sem vínculo estatutário. Nesse contexto, em fez de o governo reduzir os custos com pessoal, nas administrações, em 20% ele está aumentando no mesmo percentual.

“Essa redução que o governo vai fazer é fictícia e vai aumentar o custo do servidor público no DF. Um servidor público ocupando cargo em comissão, recebe apenas um percentual desse cargo.  Se o governador, de fato, tivesse exonerado servidores em comissões, consequentemente haveria redução de custos. Mas quando ele passa esse cargo para servidor não concursado ele está aumentando o custo em pelo menos 20% no pagamento desse cargo em comissão.”, explicou.

Para a especialista, existirá redução de cargos e isso de gerar alguma economia, porém, sem utilizar todo o potencial de enxugamento da máquina.

Medida política

Publicidade

De acordo com a especialista a medida de Rollemberg é totalmente política, para não deixar protegidos de políticos fora de cargos. “É uma forma de o governador fatiar as secretarias e as administrações que vão passar por essas reformulações.”, afirma ao observar que a medida tem como finalidade, apenas: “causar impacto na mídia e mais uma vez para justificar a venda de empresas e a privatização de serviços, terceirização, contratação interposta de outras entidades.”, disse ao afirmar que a medida além de impopular pode ir contra a ordem econômica.

Direitos trabalhistas

A especialista fez mais um alerta em relação aos direitos trabalhistas dos comissionados demitidos: “A publicação que saiu no Diário Oficial saiu com a data do dia 11, ou seja, direitos trabalhistas do servidor comissionado que foi exonerado, não estão sendo respeitados.”

0

Comentário