DF inicia quarta-feira com flexibilização de uso de máscaras ao ar livre

Medida passa a valer a partir desta quarta (3). Proteção facial segue obrigatória em ambientes fechados, como no transporte público e em escolas

114
Print Friendly, PDF & Email

Por Catarina Lima

“Com relação à covid não existe receita preestabelecida. A flexibilização está sendo feita com muita cautela, tanto que apenas em ambientes públicos ao ar livre que estamos liberando”Divino Valero, subsecretário de Vigilância Epidemiológica

A partir desta quarta-feira (3), o uso de máscaras de proteção individual não será mais obrigatório em ambientes abertos no Distrito Federal. É o que diz o Decreto nº 42.656, do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, publicado na última terça (26), em edição especial do Diário Oficial. No entanto, a proteção facial e respiratória continua sendo obrigatória em locais fechados, como transporte público coletivo, estabelecimentos comerciais, industriais, áreas comuns em condomínios, entre outros.

O subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero, afirma que a medida será monitorada pela saúde pública. “Com a flexibilização vamos fazer uma avaliação técnica do comportamento do vírus na população. Vamos analisar como vai se comportar a taxa de transmissão e o índice de casos graves da infecção, que hoje estão em queda no DF”, explicou.

Publicidade

Segundo ele, como a doença ainda é muito nova, as contemporizações também são necessárias. “Com relação à covid não existe receita preestabelecida. A flexibilização está sendo feita com muita cautela, tanto que apenas em ambientes públicos ao ar livre que estamos liberando”, completa o subsecretário.

Educação

Os protocolos e medidas de segurança previstos no novo decreto não se aplicam às escolas da rede pública de ensino. Para elas, o regramento continuará sendo definido por ato próprio da Secretaria de Educação, como já acontece desde o início da pandemia.

Quanto às escolas da rede privada, o novo decreto estabelece que não seja mais necessário o distanciamento de dois metros entre as cadeiras dos alunos e acaba com a obrigatoriedade de que as atividades esportivas ocorram apenas em ambientes abertos.

Os novos protocolos orientam para que as atividades sigam acontecendo “preferencialmente” em ambientes abertos. O decreto também reforça que os estabelecimentos comerciais funcionem conforme seus alvarás preveem.

FONTEAgência Brasília
Artigo anteriorIbaneis quer implantar locação social para combater déficit habitacional
Próximo artigoAtenção com as chuvas! Vamos prevenir a dengue