TSE promove seminário educativo sobre violência política contra mulheres

75
Print Friendly, PDF & Email

É diante desse cenário que o Tribunal Superior Eleitoral promove, ao longo da próxima segunda-feira (18/10), o seminário “Mais Mulheres na Política: sem violência de gênero”.

A partir das 10h30, a ministra do TSE Maria Claudia Bucchianeri e a secretária-geral da presidência Aline Osorio participam da abertura, ao lado do presidente da Corte Luís Roberto Barroso e do ministro Carlos Horbach.

Das 11h às 12h, o presidente Barroso vai moderar o debate “Mulheres pela democracia”, que conta com a participação de Bucchianeri e Osorio, além da filósofa e professora Djamila Ribeiro e da fundadora do Black Money Nina Silva.

Publicidade

A segunda live, que começa às 14h30, debate a realidade e perspectivas da violência política de gênero no Brasil, e conta com Cármen Lúcia, ministra do Supremo Tribunal Federal; Anastasia Divinskaya, representante da ONU Mulheres; Celina Leão, deputada federal e coordenadora da Secretaria da Mulher; Simone Tebet, senadora e líder da bancada feminina no Senado Federal; Renata Gil, presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros; e Lívia Santana Vaz, procuradora do Ministério Público da Bahia.

Das 16h30 às 17h30, Melisa Caro Benitez, professora da Faculdade de Direito e Ciências Políticas da Universidade de Cartagena, e Maria Martha Nieto, juíza na Patagônia, debatem a experiência da América Latina no combate à subrepresentação política feminina.

Por fim, das 17h30 às 18h30, Fábia Galvão, coordenadora de mídias do TSE, modera um debate sobre perspectivas interseccionais, com a presença de Bruna Benevides, representante da Associação Nacional de Travestis e Transexuais; Ieda Leal de Souza, coordenadora nacional do Movimento Negro Unificado; Cacica O-e-Kaiapó Paiakan, liderança indígena; e Luana Rolim, vereadora de Santo Ângelo/RS.

O seminário será transmitido ao vivo pelo canal do TSE no YouTube.

 

Artigo anterior10,6 mil crianças e adolescentes foram aos pontos de vacinação no DF
Próximo artigoMais de 10 milhões ainda não sacaram fundo do PIS-Pasep