Aumenta número de UTIs exclusivas para Covid-19 no DF

Só na primeira quinzena de maio, 70 leitos de terapia intensiva foram abertos na rede pública de saúde do DF

75
Print Friendly, PDF & Email

Agência Brasília*

A Secretaria de Saúde aumentou, nesta semana, a quantidade de leitos de UTI exclusivos para pacientes com a Covid-19, ampliando de 232 para 252. A quantidade subiu após o Hospital de Base abrir mais 20 novos leitos de terapia intensiva. Com isso, a taxa de ocupação – que varia continuamente, por razões óbvias – está em torno dos 40% – com 97 deles ocupados e 155 disponíveis à população até o momento.

O secretário de Saúde, Francisco Araújo, lembra que várias medidas têm sido adotadas, desde o início da pandemia, para garantir o devido atendimento nas UTIs para os acometidos pela Covid-19. Isso inclui, entre outras medidas, a convocação de mais servidores.

“Nomeamos neste ano mil profissionais pela Secretaria de Saúde, sendo 773 deles médicos em diversas especialidades. Também fizemos a manutenção de equipamentos, doações de outros e aquisições, proporcionando a reabertura de novos leitos. Por isso, a pasta conseguiu, em pouco tempo, ampliar o número de leitos para 252”, informou Francisco Araújo.

Em maio, outros 70 leitos de terapia intensiva foram abertos na rede pública de saúde do Distrito Federal. Do total, dez foram no Hospital Regional da Asa Norte (Hran), dez no Hospital Regional de Santa Maria (HRSM), 30 no Hospital de Base e 20 na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Núcleo Bandeirante.

No mesmo mês, a Secretaria de Saúde firmou um convênio com o Hospital Daher, para contratar 20 leitos de terapia intensiva para adultos. Dessa forma, é possível complementar a rede pública de saúde do Distrito Federal.

Rede privada

Além do suporte do sistema público de saúde e da rede contratada, os pacientes com a Covid-19 no Distrito Federal também podem contar com mais 162 leitos em 17 hospitais da rede privada, voltados exclusivamente para o público acometido pelo coronavírus. Atualmente, 70 deles estão ocupados, representando uma taxa de 43%.

Edição: Renato Ferraz

* Com informações da Secretaria de Saúde-DF

Fonte: Agência Brasília