Professores de educação física devem atuar para a saúde pública do DF

Profissionais poderão atuar junto a outras categorias na prevenção de doenças durante a pandemia, criando novas vagas de trabalho

178
Print Friendly, PDF & Email

Hédio Ferreira Júnior

Um decreto está sendo preparado pelo Governo do Distrito Federal (GDF) incluindo os profissionais de educação física na área de atendimento à saúde. Pela proposta, os instrutores voltados para práticas esportivas passariam a ser considerados essenciais na prevenção de doenças, como respiratórias e cardiovasculares, que acometem, principalmente, a população mais idosa – grupo vulnerável ao contágio da Covid-19.

A medida possibilitará que novas vagas de emprego sejam geradas a trabalhadores de uma das categorias mais afetadas pela crise desencadeada pelo novo coronavírus, tanto em ações de grupos multidisciplinares do governo quanto em programas sociais.

“Quando o governador Ibaneis Rocha reconhece esse grupo como fundamental aos cuidados com a saúde, abre a oportunidade para que sejam acionados por qualquer área do governo na prevenção de diversas enfermidades, principalmente relacionadas aos grupos de risco, como pessoas com comorbidades e idosos”, explica a secretária de Esporte e Lazer, Celina Leão, que está à frente da ação.

Um desses programas é o albergue de idosos, que abriga e acompanha em hotéis homens e mulheres acima dos 60 anos e que são mais vulneráveis à infecção do novo coronavírus.

Retomada dos esportes

A ação é um dos primeiros passos do GDF para discutir a retomada das atividades das práticas esportivas no DF durante a pandemia. Celina acredita que ela seja gradual e que a reabertura de parques, como o da Cidade, seja o primeiro teste, avaliando a evolução da doença quando isso acontecer.

Após o reconhecimento da categoria como atendimento à saúde, o GDF estudará o meio jurídico de contratação, se por chamamento ou contrato temporário, por exemplo. A expectativa é de que o decreto seja assinado pelo governador ainda nesta quarta-feira (20).

Fonte: Agência Brasília