Onze novas ambulâncias do SAMU entram em operação no DF

32


Print Friendly, PDF & Email

Veículos darão mais agilidade e qualidade ao serviço

Por Nivania Ramos

A Secretaria de Saúde deu início, nesta terça-feira (15), à operação de 11 novas ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). As viaturas foram adquiridas com recursos da Secretaria de Saúde e vieram para substituir os veículos da frota de 2015.

“As 11 ambulâncias têm a finalidade de fazer a renovação da nossa frota, que está necessitando de recomposição. Essa renovação foi feita com os próprios recursos da Secretaria de Saúde e representam uma quantidade suficiente para o atendimento necessário à nossa rede”, ressalta o Secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

“Todos sabem que a saúde é prioridade em nosso governo e a entrega de 11 ambulâncias é mais um ato do esforço, que é diário, em nosso compromisso com a sociedade da capital de todos os brasileiros”, acrescenta o vice-governador, Paco Britto.

Publicidade

O diretor do Samu, Alexandre Garcia, destacou os ganhos do serviço com essa renovação. “A nova frota é importante devido à qualidade com que a viatura vai chegar ao atendimento e a diminuição de gastos com manutenção das viaturas mais velhas. Isso tudo vai fazer com que o Samu consiga dar melhor resposta, tanto de tempo, quanto de custo, para a população do Distrito Federal”.

A frota do órgão, que cobre todo o Distrito Federal, é composta atualmente por 38 veículos, sendo 30 de suporte básico e oito de suporte avançado, além de 20 motolâncias e um helicóptero.

“Ambulâncias mais ágeis e com equipamentos modernos vão anteder com maior qualidade a população. É muito importante a preocupação do governador em possibilitar uma melhor assistência. Isso faz toda a diferença”, afirma o secretário-adjunto de Gestão em Saúde, Ronan Pereira Lima.

A nova frota vai substituir ambulâncias mais antigas, que precisavam de muita manutenção. “A economicidade é um ponto positivo e, além disso, estaremos condizentes com as portarias do Ministério da Saúde que preconizam que as viaturas tenham tempo de ação de até cinco anos”, destaca o diretor-geral do Complexo Regulador em Saúde, Petrus Sanches.

O atendimento do Samu é composto por 916 servidores, entre médicos, enfermeiros, farmacêuticos, técnicos de enfermagem, condutores e técnicos administrativos. “A população e o servidor ganham muito com essas novas viaturas. É uma grande aquisição para o Distrito Federal, que trará melhor qualidade nas remoções e nos transportes efetivados pelo Samu”, reforça o Subsecretário de Atenção Integral à Saúde, Ricardo Tavares.

O Samu faz, em média, 6 mil atendimentos mensais. Ao contabilizar todo o ano passado, o serviço recebeu quase um milhão de ligações – chegaram a 903.157. Dessas, 275.375 foram triadas e atendidas pelos médicos via telefone, sendo que 76.245 precisaram enviar viaturas.

Fonte: Agência Saúde