Sindate-DF cobra de empresa Home Care regularização do pagamento de salário dos técnicos em enfermagem

320
Print Friendly, PDF & Email

Por Leandro Montes

Após constantes atrasos no pagamento dos técnicos em enfermagem que trabalham na empresa Prime Home Care, a diretora do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Distrito Federal (Sindate-DF) Josy Jacob se reuniu, nessa terça-feira (15), com profissionais e discutiu formas de garantir a efetivação do pagamento pela empresa.

No encontro, os trabalhadores denunciaram que não recebem o salário que deveria ser pago no quinto dia útil, conforme determina a Convenção Coletiva (CTCT) e a Consolidação da Leis do Trabalho (CLT). Diante dos fatos, o Departamento Jurídico do Sindate encaminhou uma notificação Jurídica à Prime Home Care com o objetivo de respaldar os profissionais quanto a possíveis ações judiciais, na tentativa de corrigir a falta de pagamento aos técnicos em enfermagem.

De acordo com Jacob, em um acordo com os profissionais ficou decidido que caso a empresa não regularize os débitos até esta quarta-feira (16), serão ajuizadas ações de rescisão direta e tutela de urgência, além de uma possível manifestação na frente da empresa.

A diretora lamentou a forma como a empresa tem tratado os colaboradores e lembrou que essa não é a primeira vez que ocorre atrasos no pagamento. “Não vamos medir esforços para garantir o direito do trabalhador. O Sindate não vai se furtar em ajuizar ações daqui para a frente. Mesmo que a Prime regularize o pagamento hoje, isso não basta. Queremos o cumprimento do pagamento no quinto dia útil, conforme determina nossa Convenção Coletiva”, afirmou a diretora de Formação Sindical, Josy Jacob.

Deputado cobra pagamento de salários

Durante sessão ordinária da Câmara Legislativa nesta terça-feira (15), o deputado distrital Jorge Vianna (Podemos) criticou os atrasos do pagamento de salário aos trabalhadores da empresa. O parlamentar considerou como crime trabalhista a demora na efetivação dos pagamentos e observou que mesmo com convênio celebrado com a Secretaria de Saúde, os patrões insistem em descumprir a legislação. “Quero comunicar à classe trabalhadora e aos empresários que estarei nas bases dos hospitais privados, home cares e nas cooperativas para acompanhar de perto o que estão fazendo com os nossos trabalhadores”, finalizou.

Fonte: Sindate-DF