Empresa suspende admissão em leitos de UTIs do Hospital de Santa Maria

100


Print Friendly, PDF & Email

“Como é que o governador quer contratar OSs se ele nem está pagando as empresas que está prestando serviço?”, questiona vice-presidente do Sindate-DF sobre atraso de pagamento de dívida de mais de R$ 20 milhões à Intensicare. 

Por Kleber Karpov

A informação só veio a público na manhã de quinta-feira (7/Jul), mas desde o dia 4, a Intensicare, empresa que disponibiliza leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) suspenderam as admissões de novos pacientes de UTis Adulto, Pediátrico e Neonatal do Hospital de Santa Maria (HRSM). A notícia foi dada por meio de Ofício, pela Intensicare, que cobra o pagamento de mais de R$ 20 milhões.

A publicação viralizou nas redes sociais e resultou em críticas de usuários, servidores e também das entidades sindicais. Nesse contexto o vice-presidente do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (Sindate-DF) postou um vídeo na rede social Facebook em que questiona a intenção do governo implantar Organizações Sociais (OSs) na gestão da Saúde do DF, além de fazer dura crítica ao governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB).

Publicidade

“Tem um documento rodando nas redes sociais, um documento da Intensicare. Intensicare é uma empresa que presta servipço nas UTIs no Hospital de Santa Maria. Ora, aqui nesse documento a Intensicare está simplesmente cobrando as fatura. Está cobrando R$ 20 milhões que o GDF está devendo. Agora eu te pergunto. Como é que o governador quer contratar OSs se ele nem está pagando as empresas que está prestando serviço. Empresário meu amigo, ele não quer saber não. Ele quer pagamento. Se não tiver pagamento ele suspende o serviço? Então imagine como seria o Distrito Federal, se nós tivéssemos um monte de organização social com o pagamento atrasado, ia suspender o serviço. E aí você usuário que está pagando seus impostos em dia, vai ser prejudicado. É isso que você quer? Porque nós não queremos isso. Nós sabemos que o governo gosta de dar calote nos empresários. Nós sabemos que o governo não honra com seus compromissos, em dia. Mas o empresário não quer saber ele quer o dinheiro. Por isso ele fez o documento. E esse documento nós investigamos para ver se era verdade. E é verdade. A empresa realmente reconheceu. O GDF não paga. O GDF está dando calote. E aí? Vai suspender o serviço de UTI em Santa Maria?”

Vianna questionou ainda a intenção de Rollemberg contratar OSs na gestão da Saúde do DF.

“De duas uma governador. Ou você está querendo acabar com o contrato da Intensicare e botar uma OSs ou então realmente você não honra seus compromissos. Se você não honra seus compromissos, o senhor não deve nem estar sentado nessa cadeira. Essa cadeira é para homem que tem coragem de honrar seus compromissos e tem coragem de ajudar esse povo que votou no senhor. Então governador, OSs, nem pensar. Nós não vamos pagar com sangue do nosso povo do DF as OSs. Nós não vamos pagar essa dívida. Por isso, OSs zero em Brasília.”.

Intensicare

De acordo com o Diretor da Intensicare, Antônio César Teixeira, a SES-DF, deve a empresa, desde 2014 e este ano deixou de realizar 4 meses de pagamento. Teixeira informou ainda que enviou  um representante à SES-DF para cobrar a dívida (7/Jul) e saiu com a promessa de repasse de R$ 3 milhões ainda nesta semana referentes a pagamentos atrasados de outubro de 2015.

O que diz a SES-DF

Em apuração do Política Distrital, por meio da Assessoria de Comunicação (Ascom) a Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF) confirmou a suspensão da “regulação externa” dos leitos de UTIs prestados pela Intensicare deu outra versão em relação à parte da dívida que prometeu a pagar.

“A Secretaria de Saúde informa que a empresa Intensicare Gestão em Saúde LTDA deve receber o pagamento referente à fatura do mês de abril deste ano até o final da próxima semana. A pasta está trabalhando na realocação orçamentária para que a fatura de maio seja liquidada o mais rápido possível. De acordo com a Superintendência da Região Sul de Saúde, o serviço de terapia intensiva do Hospital Regional de Santa Maria está sendo devidamente prestado aos pacientes da unidade. No entanto, a regulação externa está temporariamente suspensa. Ou seja, os pacientes de outras regiões que necessitam de internação em leito de UTI serão encaminhados para as outras unidades da rede pública, conveniada ou contratada.”.

Ainda de acordo com a SES-DF, a rede mantém 406 leitos próprios e continua a oferecer 343 leitos disponibilizados pela Central de Regulação de Leitos.

R$ 258 milhões em OSs

Outro sindicalista a colocar em cheque  as intenções do GDF é o presidente do Sindicato dos Médicos do DF (SindMédico-DF), Gutemberg Fialho que acusa o governo de cometer crime ao deixar pacientes morrerem por “mortes evitáveis”. Vale observar que em exposições junto a imprensa o GDF afirma que deve gastar R$ 258 milhões para contratar sete OSs que devem atuar para atender a Atenção Primária de apenas seis Regiões Administrativas.

Enquanto isso

Embora a SES-DF tente vender um ‘ar de normalidade’, nos hospitais do DF, frequentemente, casos de mortes de pacientes são relatados por falta de condições de, nas unidades hospitalares, os pacientes serem atendidos nas UTIs. Em dezembro de 2015 Política Distrital abordou problemas no HRSM por suspensão de serviços da Intensicare. Na ocasião a Empresa fechou as portas alegando que a dívida impossibilita a manutenção regular das escalas médicas destas unidades, colocando em risco a qualidade do atendimento aos pacientes internados.

Confira o Ofício da Intensicare

0b582623-f9db-458c-805f-1fba8ebd3b5d

Com informações de Sindate-DF