Distrital defende aprovação de disque-denúncia para socorrer animais

52


Print Friendly, PDF & Email

O deputado Bispo Renato Andrade (PR) defendeu da tribuna da Câmara Legislativa, na sessão ordinária desta terça-feira (24), a aprovação em plenário do projeto de lei de sua autoria, n° 78/2015, que cria no DF o serviço de disque-denúncia para proteger animais de maus tratos. A proposta já foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e está pronta para ser apreciada em plenário.

O distrital ressaltou que recebeu muitas manifestações de apoio ao projeto, sobretudo nas redes sociais, sites e blogs dedicados à defesa dos direitos dos animais. “A repercussão da votação do projeto foi muita positiva e nos dá ânimo. O disque-denúncia vai ajudar a reduzir os crimes cometidos contra os animais, que não falam, não escrevem, mas têm sentimentos”, enfatizou o distrital. “Estou pronto para ajudar a aprovar essa matéria no plenário”, anunciou, em solidariedade, o deputado Júlio César (PRB), líder do governo, lembrando que possui “dois cachorrinhos”.

 

Publicidade

FAC

 

O deputado Wasny de Roure fez pronunciamento cobrando a execução orçamentária dos recursos destinados ao Fundo de Apoio da Cultura (FAC). Ele disse que teme, como já ocorreu em anos anteriores, que a produção cultural do DF seja prejudicada mais uma vez em virtude da não-liberação das verbas. Wasny anunciou que foi procurado por produtores culturais que estão preocupados com o acúmulo e atraso na liberação dos recursos. “Existe a possiblidade de cerca de 500 projetos ficarem de fora neste ano”, alertou. O distrital disse que já levou aquela questão para análise da Secretaria de Cultura.

 

Moto

 

A morte no domingo (22) do motociclista Antônio Eduardo Mendes, conhecido como Dudu, foi lamentada pelo deputado Cláudio Abrandes (Rede), que, além de manifestar pesar pela perda de um líder dos motociclistas no DF, comentou que ele morreu depois que uma condutora de veículo o atropelou no Sudoeste, supostamente por estar desatenta ao volante e, “ao que tudo indica, teclava ao celular”.  Abrantes propôs a realização de uma campanha pública para que as pessoas não utilizem esses aparelhos ao dirigir, lembrando que isso é crime.

 

Taser 

 

Já o distrital Wellington Luiz (PMDB) ocupou a tribuna para elogiar a decisão do Detran-DF de permitir aos seus servidores a utilização do “taser”, em suas operações. O parlamentar criticou a OAB-DF por tentar suspender a liberação daquele aparelho, quer paralisa suas vítimas. “Neste último final de semana, por exemplo, o Detran apreendeu muitas armas em blitz, o que comprova a necessidade de garantia da segurança dos agentes em suas atividades de segurança”, advertiu o distrital.

Fonte: CLDF