Distritais criticam cancelamento de cirurgias por causa da tocha olímpica

36
Print Friendly, PDF & Email
Por Luís Cláudio Alves

O cancelamento de cirurgias por causa da passagem da tocha olímpica pela cidade, noticiado pela imprensa local, recebeu críticas de deputados distritais, durante a sessão ordinária da Câmara Legislativa do Distrito Federal desta terça-feira (3). O líder do PMDB, deputado Wellington Luiz, cobrou do governo explicações sobre a denúncia e uma apuração rigorosa.

Na opinião do distrital, se confirmada, a situação é inadmissível. “Será que a tocha passou dentro do hospital? Será que o rodízio foi conduzido pelos pacientes? É lamentável uma situação destas”, questionou Wellington Luiz.

O deputado Juarezão (PSB) também considerou a situação um “absurdo”. Segundo ele, o cancelamento também aconteceu durante jogos da Copa do Mundo de futebol. O distrital considerou a medida uma “infelicidade” das diretorias dos hospitais.

Isenção – O deputado Wellington Luiz também criticou a isenção fiscal no valor de R$ 400 milhões que o GDF teria concedido à empresa Natura. Para ele, o caso é estarrecedor, principalmente porque a empresa teria doado R$ 200 mil à campanha do governador Rodrigo Rollemberg. “O caso é gravíssimo”, resumiu.

Eleições – Já o deputado Lira (PHS) manifestou-se na tribuna da Câmara contra a antecipação das eleições para este ano. Para ele, as eleições só devem acontecer em 2018, quando o cenário político estiver estabilizado.

Fornecedores – O deputado Rafael Prudente (PMDB) condenou decreto do governador Rollemberg publicado na última sexta-feira cancelando vários empenhos de pagamentos a fornecedores. Segundo o distrital, agora será ainda mais difícil para os fornecedores receberem suas dívidas com o governo.

Cronograma – O líder do governo na Câmara, deputado Julio César (PRB), informou nesta terça-feira que a Secretaria de Saúde deverá apresentar na próxima semana um cronograma de pagamentos das licenças prêmios dos servidores da pasta que foram transformadas em pecúnia.

O líder também comunicou que a secretária de Segurança Pública e Paz Social, Márcia de Alencar Araújo, estará na Câmara na próxima sexta-feira (6), às 10h, na sala de reuniões das comissões, para prestar esclarecimentos aos distritais sobre o esquema de segurança usado por seus familiares.

Bloqueio – O deputado Chico Vigilante (PT) lamentou os transtornos e prejuízos causados pela suspensão temporária da rede social whatzap. Na opinião do parlamentar, os consumidores foram os maiores prejudicados com a decisão de um juiz de Sergipe. “Não entendo por que a Justiça não bloqueia o sinal de celular nos presídios a invés de causar prejuízos para a sociedade brasileira”, questionou.

Fonte: CLDF