Escolas do DF têm dia tranquilo de vacinação neste sábado (11)

Unidades de ensino em Ceilândia e no Gama abrem as portas para imunizar a população

Cozinheira Regina Barbosa tomou a dose de reforço para covid-19 e levou os dois filhos para se imunizar também contra a doença
Print Friendly, PDF & Email

Em mais uma ação de esforço coletivo para imunizar a população, a Secretaria de Saúde, em parceria com a Secretaria de Educação, deu continuidade ao programa de Vacinação nas Escolas. Neste sábado (11), o Centro de Ensino Fundamental 32, no Sol Nascente -Ceilândia, e a Escola Classe 9, no Gama, abriram as portas para imunizar contra covid-19, influenza e tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola). As vacinações foram para todas as idades, tiveram início às 9h e seguem até as 17h.

Em Ceilândia, o estudante Gabriel Arthur Nascimento, 18 anos, aproveitou a data para concluir o ciclo vacinal. “Minha mãe trabalha aqui e me falou que teria a vacina hoje, aí vim com ela para tomar. Achei melhor assim do que ficar procurando um local”. Para a aposentada Antônia Oliveira, 63 anos, o que fez com que tomasse a quarta na escola foi a proximidade com a residência em que mora. “Está a porta da minha casa, na frente da minha rua.”

A responsável técnica pela vacinação no Centro de Ensino Fundamental 32, a enfermeira Landicea Rangel, explicou que as ações em parceria nas escolas têm apresentado respostas positivas. “Atingimos um público maior infantil quando a vacinação é nas escolas”, contou. O objetivo é conseguir alcançar ainda mais pessoas com esse trabalho aos sábados e dentro das comunidades.

Publicidade

No Gama, a cozinheira Regina Barbosa, 34 anos, tomou a dose de reforço para covid-19 e levou os dois filhos para se imunizar também contra a doença. “Durante a semana fica muito difícil para mim, minha casa é longe do posto e estou no trabalho”, disse. Ela estava ansiosa para completar a vacinação do Enzo, 7 anos, e dar a primeira dose de Valentina, 5 anos. “É muito importante, a vacina salva vidas e quero proteger meus filhos”, assegurou.

À frente da Secretaria de Saúde, a médica Lucilene Florêncio, destacou que, além de manter os chamamentos para a população completar o esquema vacinal, é preciso ampliar a busca ativa de quem ainda precisa se imunizar. “Temos que ir exatamente naquela região onde a cobertura deveria estar em outro patamar”, conta. “Muitas vezes, as pessoas acham que tomaram a primeira dose e pronto, não precisam mais se vacinar”, alerta a gestora.

Enquanto superintendente da Região de Saúde Oeste, Lucilene implementou a ação do Carro da Vacina, que até hoje percorre as quadras da Região de Saúde Oeste levando a proteção contra a covid até a população. Ela adiantou que organiza um inquérito vacinal para buscar as faixas etárias que ainda precisam tomar em peso as doses de reforço.

A secretária de Educação, Hélvia Paranaguá, reforçou a importância do espaço cedido pelas escolas aos sábados para a vacinação. “Essa parceria com a Saúde possibilita que o cidadão do DF ganha mais uma opção para se vacinar contra a covid-19. Vejo como um incentivo para aqueles que não conseguem se vacinar durante a semana”, destaca.

A dobradinha com a Secretaria de Educação, que possibilita a vacinação aos sábados nas escolas, já ocorreu nas regiões de Ceilândia, Planaltina, Núcleo Bandeirante, Candangolândia, entre outras, e vai até o fim de junho.

FONTEAgência Saúde-DF
Artigo anteriorANS: taxatividade não altera rol de coberturas obrigatórias
Próximo artigoAção contra a dengue vistoria 1.106 imóveis neste sábado (11)