Bispo Renato Andrade reage a menção de vice-governador em áudio gravado por SindSaúde-DF

130


Print Friendly, PDF & Email

Vice-governador Renato Santana sugeriu fuga do parlamentar. Bispo Renato por sua vez refuta qualquer ligação com CPI da Saúde e promete virar um calo no pé de Santana

Por Kleber Karpov

No áudio gravado pela presidente do Sindicato dos Servidores em Estabelecimento de Saúde do DF (SindSaúde-DF), Marli Rodrigues, durante reunião com ouvidor do GDF, Valdecir Marques de Medeiros e o vice-governador do DF, Renato Santana (PSD),  alguns personagens políticos e do governo são mencionados. Entre eles a secretária adjunta da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), Eliene Berg e o deputado distrital, bispo Renato Andrade, ambos, de acordo com Santana, aparentemente, com algo supostamente explosivo a dizer, sobre a Saúde do DF.

Aproximadamente aos 43 minutos de uma conversa de aproximadamente uma hora e meia, Santana sugere acontecimentos ‘explosivos’ prestes a estourar sobre a SES-DF e fala da relação com a secretária-adjunta, Eliene Berg. O vice-governador afirmou que estava “sentindo o cheiro de explosivo” na SES-DF e sugere que o deputado distrital, Bispo Renato Andrade (PR), membro da CPI da Saúde, o ‘perseguiu’ querendo falar sobre o assunto e que fugiu do parlamentar.

Sobre Eliene Berg, Santana explicou ser amiga da cunhada e que a adjunta está incomodada com os acontecimentos na SES-DF, a ponto de procurá-lo, várias vezes, para afirmar que não estava suportando ficar a frente da pasta.

“A minha relação com a Eliene, ela é amiga de uma cunhada minha, coincidentemente, ela saiu da HRT porque o João Batista, quando o Rodrigo, a história foi essa tá. quando o rodrigo surgiu o nome do Fábio, eu não sei como foi, o rodrigo  ligou falou Renato vou mudará na saúde lá, ligou só para isso. vamos afinar o discurso e vamos apoiar ele para ficar bacana. Ele ligou pro Rosso, ligou pro Reguffe, ligou pro Cristovam, dr. Gustavo. Oh! Nunca tinha feito isso, e aí ele [governador Rodrigo Rollemberg (PSDB)] há você vai gostar, tem uma moça lá de Taguatinga, que vai ser secretaria adjunta., lá não sei o que, e tal. Ela há uns três dias atrás e falou assim… ela [Eliene Berg] já fez isso umas quatro ou cinco vezes, acho que não dá para mim não: – O sentimento não está legal. Aconteceram algumas coisas que, eu não preciso passar por isso. Ela [Eliene Berg] assustada com os movimentos de Ministério Público, não sei o quê, ela é psiquiatra, eu senti que ela queria me dizer algo. Mas ela disse assim: – Oh, eu, eu, não quero, não preciso disso aí. É uma pessoa de família… Eu senti que ela queria compartilhar uma informação, mas ela não se sentia a vontade.”.

Em seguida, Santana sugere que, bispo Renato, também, supostamente, queria falar sobre algo que o incomodava, por ser membro da CPI da Saúde do DF.

Publicidade

“Essa onda de fofoca de que o secretário vai vazar, eu estou sentido o cheiro de explosivo ali na secretaria de saúde. O bispo Renato não sai da minha cola. Tá na CPI lá não está? E ele está, está com um veneno assim… E ele quer compartilhar uma informação e eu estou fugindo dele, porque eu fico, quer saber eu não tenho nada haver com essa p*. “.

Bispo Renato explica

Política Distrital fez contato com Bispo Renato que confirmou que realmente tenta falar com o vice-governador, porém, por outra razão, inversão no trânsito nas avenidas Samdu e Comercial,  na Região Administrativa de Taguatinga, efetivada em junho.  O parlamentar afirmou que será “um calo no pé”, para pedir explicações ao vice-governador, sobre a SES-DF.

“Tive várias reuniões com o Renato Santana, mas jamais quis compartilhar com ele qualquer informação acerca da CPI da saúde, pois até onde eu saiba ele não tem indicações na Secretaria de Saúde, ou será que tem? E a minha parte de investigação na CPI da saúde é principalmente quanto a órteses e Próteses.  A minha “briga” com o Renato Santana foi a mudança do trânsito em Taguatinga. Agora como ele demonstra saber algo na Secretaria de Saúde vou ser um calo no pé dele também quanto às questões da saúde. Quem sabe de corrupção e não denúncia é conivente com a mesma, ele sabia ou sabe e não denunciou nada, passa a ser parte dela. Agora vou focar no que ele pode nos informar e quem são as pessoas que ele indicou na saúde e em quais funções. Vou pra cima, quero informações.”.