Em entrevista, Jorge Vianna fala sobre atuação parlamentar em defesa da Saúde

306
Print Friendly, PDF & Email

Instituto Hospital de Base,  hospital do câncer,  Comissão de Saúde e recesso parlamentar estão entre os temas abordados

Por Kleber Karpov

Na tarde deste domingo (3), em entrevista ao jornalista Ricardo Noronha, no programa SOS Brasília, veiculado pela TV Brasília, o deputado Jorge Vianna, falou das expectativas da atuação parlamentar, na Câmara Legislativa do DF (CLDF), em defesa da Saúde Pública do DF. Entre os temas abordados, Vianna falou sobre a atuação na Comissão de Educação, Saúde e Cultura (CESC) e sobre o Instituto Hospital de Base (IHBDF).

IHBDF

Questionado sobre a aprovação recente do Projeto de Lei 01/2019, que converteu o IHBDF em Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (IGESDF) e expandiu o modelo utilizado no Hospital de Base do DF (IHBDF), para o Hospital Regional de Santa Maria (HRSM), além das seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do DF, Vianna lembrou que, embora seja da base do governo, votou contrário a criação do IGESDF.

Publicidade

Segundo Vianna, faltou tempo hábil aos parlamentares, para promover uma ampla discussão e mensuração da eficiência do modelo de gestão do IHBDF para ser estendido a outras unidades de saúde. O deputado mencionou, por exemplo, a falta de dados concretos, de compras de medicamentos e insumos, para avaliação de economia praticada pelo Instituto. “Essa caixa preta ainda não foi aberta”, ponderou.

Vianna lembrou ainda necessidade de haver transparência, de modo que se possa garantir uma boa gestão ao IHBDF. De acordo com o parlamentar, a gestão do Instituto deveria prover, entre outros pontos, a descentralização de recursos, a participação de órgãos de controles no conselho do Instituto, contratação de profissionais de saúde, por meio de concurso público.

CESC

Presidente da CESC, Vianna falou da importância do trabalho da CESC para avaliar e relatar projetos de lei. Para o parlamentar, embora tratem de temas distintos, no dia-a-dia de convivência da sociedade, Saúde, Educação e Cultura conversam entre si, e se convergem, pois um segmento impacta no outro.

Vianna observou ainda, que os cinco membros que compõem a CESC conhecem os segmentos representados pela comissão permanente que trata da Saúde, Educação e Cultura. Ainda de acordo com o deputado, a população pode esperar dos distritais, efetividade em relação a fiscalização do Legislativo.

Valorização do SUS

Vianna apontou para a necessidade de se valorizar o Sistema Único de Saúde (SUS), além de lembrar que o SUS, dos planos de saúde, na saúde complementar, independe de carência e limite de gastos.

“O SUS é o melhor plano de saúde do mundo pois não tem carência, não tem limite de gastos, todos os planos tem carência ou limite de gastos. O SUS não. Então, a minha principal bandeira, e a bandeira SUS.”, disse.

Hospital do Câncer

O deputado também falou da necessidade de o DF ter uma unidade referência de tratamento oncológico. Na avaliação do distrital, mesmo com projeto e espaço definido, falta vontade política para a implantação de um hospital do câncer na cidade.

“Somos uma das poucas capitais que não temos referência na doença do câncer. Nós temos um projeto, temos uma área, só falta boa vontade.”, disse ao lembrar que “as pessoas estão morrendo por mortes evitáveis. Elas poderiam estar vivas se tivessem um tratamento e prevenção no hospital.”, concluiu Vianna.

Recesso na CLDF

Vianna lembrou que o gabinete passou a funcionar plenamente desde a posse, em 1o de janeiro, em que o parlamentar atendeu diversas agendas, além de produzir projetos de leis e requerimentos, a serem apresentados à partir de terça-feira (5).  “Não tem lógica você tomar posse em um dia, entrar em recesso e deixar a população na mão, pois o governo para.”, disse ao sustentar a necessidade de rever o recesso Legislativo na CLDF.

Confira na integra