Frejat pode voltar e surpreender novamente a cena política brasiliense

2774
Print Friendly, PDF & Email

Depois de chutar o pau da barraca ao desistir, há 13 dias, da pré-candidatura ao governo do Distrito Federal, mesmo liderando as pesquisas de intenção de voto, o médico Jofran Frejat (PR), pode voltar sem amarras ou imposições à cena política do DF para continuar na luta por Brasília

Por Toni Duarte

Neste sábado (04/07), dia que ocorre a convenção do Partido da República do DF, pode também ser o início do resgate de um projeto político capaz de vencer as eleições, cantado e decantado como sendo “sem solução”, diante da posição tomada pelo ex-secretário de saúde Jofran Frejat de desistir de vez da sua pré-candidatura ao Buriti.

Desde a desistência oficial de Frejat na corrida eleitoral desse ano que a cena política do DF não é mais a mesma. A coligação PR, PP, MDB, DEM, Avante, e agora PSDB, que tem Izalci Lucas, Alberto Fraga, Tadeu Filippelli e Paulo Octávio não é mais a mesma.

A situação causou impacto até mesmo no grupo composto pelas “madalenas arrependidas”, liderado por Rogério Rosso (PSD) e pelo senador Cristovam (PPS). Ninguém conseguiu se habilitar ao espólio político de Jofran Frejat.

Publicidade

Até mesmo a candidatura de Eliana Pedrosa (Pros), murchou por não conseguir ocupar a lacuna política deixada pelo ex-secretário de saúde.

O gemido dos afogados no lago político do DF preocupou esta semana até mesmo alguns caciques nacionais, como o presidenciável Geraldo Alckmin, presidente do PSDB e Valdemar da Costa Neto, presidente do PR.

Por parte de Alckmin um interlocutor sugeriu a Frejat que saísse candidato ao Senado para ajudar a puxar Izalci Lucas que pode ficar sem mandato.

O presidente do PR nacional, fez o mesmo pedido ao ex-secretário de saúde. A turma de cima está mais preocupada em manter um bom número de parlamentares no Congresso Nacional para engordar ou manter o fundo partidário do que propriamente com as mazelas políticas e as desastradas gestões pública que aflige a população do DF.

“Ora se eu não quis ser mais pré-candidato ao Buriti, como posso retornar agora como pré-candidato ao Senado? ”, questionou Frejat.

Quando ainda estava na atividade médica, o renomado cirurgião atendia os pedidos de socorro de seus colegas e assim salvou muitas vidas.

Agora na atividade política e no alto de seus 81 anos de idade, Jofran Frejat foi obrigado a aplicar a eutanásia política contra aqueles que conspiraram nos subterrâneos para que o ex-secretário de saúde vendesse a alma ao diabo.

Apesar da dureza e da firme posição, o maior líder políticos dessas eleições tem amolecido o coração para um movimento popular cada vez mais forte que continua lutando pelo “Volta Frejat”.

Lideranças comunitárias, dirigentes de associações de classe e da sociedade civil tem feito romarias constantes na porta da casa 2, QL 8, Conjunto 6 do Lago Sul, com o objetivo de incentivar Frejat a voltar a luta para resgatar Brasília.

A todos Frejat apenas responde que a política muda como nuvens. E diz ainda que para retornar ao processo terá que ter a plena liberdade de montar uma chapa ficha limpa e com pessoas decentes que tenham o interesse de resgatar Brasilia do atoleiro que está submetida há mais de duas décadas.

Afirma ainda que não pode manchar a sua biografia e o respeito que o povo lhe outorgou em toda a sua vida pública.

“Quem sabe, até o dia 15 de agosto último dia para registro das candidaturas, eu possa cantar ao povo a outra música de Roberto Carlos: Eu voltei, voltei para ficar. Porque aqui, aqui é o meu lugar…”.

Fonte: Radar-DF

1

Comentário