Déficit de servidores na Saúde no DF: Apenas mil Governador?

93
Print Friendly, PDF & Email

Após reunião para abordar problemas na Saúde, Rollemberg anunciou déficit de servidores.

Por Kleber Karpov

O governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB), se reuniu com diretores de hospitais e coordenadores regionais de saúde pública do DF, na Residência Oficial, em Águas Claras, na manhã de terça-feira (5). O encontro aconteceu após veiculações de denúncias pela imprensa, além de problemas a exemplo da falta de medicamentos, de serviços de manutenções e, principalmente, de profissionais para atuar nas unidades hospitalares do DF.

A secretária-adjunta de Saúde, Eliene Berg, e alguns subsecretários também estiveram presentes à reunião. Durante a reunião os gestores apontaram as principais dificuldades enfrentadas nas unidades de saúde bem como discutiram sobre soluções mais imediatas para tentar melhorar o atendimento aos usuários da rede pública de Saúde.

Déficit de servidores

Publicidade

Após a reunião, em entrevista à imprensa, Rollemberg afirmou que existe um déficit de mais de mil servidores da saúde, em relação aos profissionais que se aposentaram ou que por vacâncias provenientes aos contratos temporários. “Vamos autorizar a contratação de médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem para substituir os contratos temporários e aposentadorias, para que a gente possa, com o tempo, melhorar o atendimento à população.”, afirmou Rollemberg.

Apenas 1000?

O pronunciamento de Rollemberg em relação ao déficit de mais de 1000 servidores chamou atenção de servidores, sindicalistas e até de concursados que aguardam a nomeação. Basta lembrar que em Maio de 2015, o ex-secretário de saúde, João Batista de Sousa, anunciou a necessidade de 6.530 profissionais e chegou a fazer ressalva que o número poderia chegar a 15 mil, para implementar a reestruturação, da Saúde, proposta no Plano de governo de Rollemberg.

Desde o início da gestão Rollemberg à Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), convocou 1.119 profissionais. Desses, 722 tomaram posse, o que aponta um déficit de quase 6.000 servidores. Vale observar que o GDF, desde fevereiro de 2015, segue impedido de nomear concursados por causa da limitação da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), salvo em casos de vagas em vacâncias, provenientes, por exemplo, de afastamento do profissional por motivo de morte, exoneração, aposentadoria.

Alguns déficits

Política Distrital tentou obter informações atualizadas em relação ao quadro atual de vacâncias de todas as categorias de servidores da Saúde, porém, até o momento da publicação da matéria, não obteve retorno da informação.

Médicos

O presidente do Sindicato dos Médicos do DF (SindMédico), Gutemberg Fialho, lembra que de dados do Tribunal de Contas do DF (TCDF) apontam a necessidade de aproximadamente 5 mil médicos.

Técnicos em enfermagem

Maior categoria da Saúde, para a direção do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (Sindate-DF), a SES-DF opera com déficit de 30% do efetivo de técnicos em enfermagem, cerca de 3.500 profissionais, de acordo com o vice-presidente do Sindate-DF, Jorge Vianna.

Técnicos Administrativos

Dados da Secretaria de Saúde, obtido por meio do Serviço de Informação ao Cidadão (SIC), solicitado por um concursado, apontam, apenas nas vagas em vacância para técnicos administrativos, de 2013 até o início de dezembro de 2015, um desfalque de 543 técnicos. Do montante foram 214 exonerados, duas demissões, oito falecimentos e 319 aposentadorias.

Novas nomeações

A SES-DF promete nomear 419 novos servidores nos próximos dias. Ao Política Distrital, o atual secretário de Saúde, Fábio Gondim, afirmou na última semana, que pode nomear mais profissionais, dado o necessidade de ampliar a capacidade de atendimento da rede pública.

0

Comentário