Quem ama quer Saúde no Gama: População não engole transferência de pediatria e vai para o abraço do HRG

521


Print Friendly, PDF & Email

SÉRIE DE REPORTAGENS: QUEM AMA QUER SAÚDE NO GAMA

Convencidos que Rollemberg rasgou Constituição e Estatuto da Criança e do Adolescente, além de abraço, lideranças, servidores, conselheiros de saúde e tutelar devem se reunir com parlamentares que pretendem acionar Ministério Público

Por Kleber Karpov

A população da Região Administrativa (RA) do Gama, com o apoio da sociedade civil organizada, representantes de entidades sindicais e conselheiros de Saúde, que discordam da transferência da Pediatria do Hospital Regional do Gama (HRG) para o de Santa Maria (HRSM), se reunem no próximo sábado (12/Abr), para um abraço solidário na unidade.

O evento ocorre em reação, além do fechamento da pediatria, do parecer do secretário de Estado de Saúde do DF, Humberto Lucena Pereira da Fonseca, que em um vídeo, afirma que tal mudança é resultado de um acordo firmado entre os conselhos regionais de Saúde do Gama (CRSG) e de Santa Maria (CRSM). Informação essa que gerou a revolta de vários conselheiros.

Publicidade

Isso porque, ao contrário da afirmação de  Fonseca, a Ata de Reunião Ordinária no 225, do CRSG, de 22 de março de 2018, em que é possível se constatar a falta de menção das transferência da pediatria do HRG para o HRSM.

Conselheiros

Política Distrital (PD) tentou contato com os presidentes dos conselhos envolvidos para confirmar se houve o acerto de fechamento da Pediatria do HRG, ou a transferência para o HRSM. Em contato com a insistência superior dos conselhos regionais, a atual presidente do Conselho de Saúde do DF (CDSF), Lourdes Cabral Piantino afirmou não ter “acesso às atas de reuniões dos Conselhos Regionais.  Cabe perguntar aos presidentes destes.”.

Por sua vez, ao ser questionado sobre o assunto, o presidente do CSRG, Enoquio Sousa Rocha, disse que Superintendente da Região de Saúde Sul, Robledo de Souza Leão Lacerda, sugeriu em reunião, ser a única opção. Enoquio mencionou ainda que a mudança ocorreu de forma “atrapalhada” e sugeriu que uma vantagem, apresentada foi a disponibilidade de de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no HRSAM.

Porém

Sob sigilo de identidade, um conselheiro regional de Saúde do Gama, se contrapôs as supostas ‘vantagens’ do HRSM, para justificar o fechamento da pediatria do Gama. Sobre as UTIs, por exemplo, a fonte de PD, explicou se tratar de uma “balela”.

“Vários hospitais do DF tem pediatria mas não têm UTI e funcionam normalmente. E as UTIs são reguladas pela Secretaria e acompanhado pelo Ministério Público, então esse papo de ter UTI é balela. Pois se houver necessidade, a criança vai ter que entrar no sistema de regulação da Secretaria, onde tem muitas crianças na fila, muitas com decisão judicial. É balela para enganar a população e a opinião pública.”, disse.

O conselheiro também questionou a estrutura dos dois hospitais. Isso porque no HRG, a pediatria “é totalmente pronta e estruturada, ela tem o PAI [Pronto Atendimento Infantil], em que foi gasto mais de R$ 150 mil para reformar, a pediatria em si é totalmente separada e preparada para atender as crianças. No HRG nós mais leitos, mais enfermarias, box de emergência, isolamento para as crianças com doenças mais graves e transmissíveis. Lá em Santa Maria, não tem essa estrutura.”, afirmou.

Distância

O conselheiro observou que as condições de acesso ao HRSM, aos moradores do Gama. “Imagine uma família tiver uma emergência com a criança, pegar um ônibus para Santa Maria, ela vai ter que descer na BR e andar uns dois quilômetros para chegar no hospital de Santa Maria, com a criança no colo. Agora imagine uma pessoa a noite, com chuva andando essa distância com bebê nos braços doente ainda correndo risco de ser assaltada Pois é uma região perigosa. Aqui no Gama, o hospital está em local privilegiado, a menos de 500 metros da rodoviária.”, questionou.

Risco de contaminação e trauma

Ainda segundo o conselheiro, a pediatria do HRSM pode se tornar mais um agravantes as crianças, que forem se tratar na unidade. “Os corredores em volta do pronto socorro infantil de Santa Maria as crianças vão passar observando essa cena de guerra pois estão abarrotados, de pessoas doentes espalhadas pelos corredores. Todos sabem que as crianças têm a imunidade baixo e correm o risco de pegar doenças de adultos pois o contato é muito próximo.”, alertou.

Reação do meio político

O fehcamento da pediatria do HRG chamou atenção do meio político. O presidente da Câmara Legislativa do DF (CLDF), deputado Joe Valle (PDT), acionou a SES-DF para pedir explicações sobre ao secretário de Saúde. Para o distrital Chico Vigilante (PT) que também acompanha o caso, o Conselho Tutelar também deve agir nessa mudança.

A deputada distrital, Celina Leão (PP), além de protocolar requerimento para  obter informações sobre o motivo da transferência, do atendimento pediátrico do Gama para Santa Maria, uma vez que a SES-DF anunciou a nomeação de 108 pediatras para atender nas unidades de saúde do DF. A parlamentar deve acionar o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT),  em relação a exposição, psicológica e a doenças, das crianças. A Leoa, como é conhecida, nessa cobrança, ainda deve se juntar o distrital, Raimundo Ribeiro (MDB).

“Recebi denúncias e fotos, que mostram que a pediatria do Hospital de Santa Maria é ‘colada’ a área de atendimento de pessoas adultas. Para chegar a pediatria as crianças tem que transitar por corredores lotados de adultos doentes que estão internados .Ver essas cenas pode ser traumático para as crianças, além do grave risco de contrair doenças, infecções de adultos que estejam internados. Nós queremos que o Conselho Tutelar e o Ministério Público, vejam as condições o governador Rodrigo Rollemberg, está submetendo as crianças de Santa Maria, do Gama e do entorno quando tem no hospital do Gama todo estruturado para receber essas crianças.”, disse.

Conselho tutelar

PD entrou em contato com conselheiros tutelares tanto de Santa Maria quanto do Gama para questionar se os conselhos devem atuar no caso. O conselheiro tutelar de Santa Maria, Fabrício Gonsalves disse que não tem conhecimento do caso, mas ficou de apurar com os demais colegas.

No Gama, o conselheiro tutelar, Chaguinha, afirmou que o problema em relação à pediatria do hospital do Gama é antigo, “Nós lutamos com essa questão da pediatria do hospital do Gama, desde 2015. Já fizemos reuniões com a promotoria de Saúde do Ministério Público, com o deputado Wasny [de Roure (PT)], com representação da Secretaria de Saúde, do Conselho de Saúde.”.

Informação essa ratificada pela coordenadora do Conselho Tutelar do Gama, Ana Maria. Revoltada tanto com o fechamento da pediatria do HRG, quanto com o descaso de Rollemberg, quanto com o descaso para com as crianças do DF,  a conselheira afirmou que deve agir com toda veemência para apurar e tentar reverter essa situação.

Ao PD, Ana Maria explicou ainda não ter conhecimento da exposição psicológica e a contração de doenças de adultos, no Hospital de Santa Maria, mas que vai apurar a situação e se constatado as denúncias que deve acionar os órgãos competentes para resolver o problema.

“Em relação a Santa Maria não temos esse conhecimento ainda, mas de qualquer forma, isso, se de fato estiver ocorrendo, é mais uma violação de direito da criança que o governo está fazendo. Não consigo entender porque ele tirou a pediatria do Gama com móveis novos, em uma área que só atende criança, em uma área totalmente isolada. A justificativa que ele [Rollemberg] deu é que não tinha pediatra e os médicos não queriam trabalhar lá [no HRG] por ser distante. Mas Santa Maria também não é distante? Isso é uma balela.”.

Para Ana Maria, Rollemberg atua como um “Inimigo da criança”, por ignorar o que rege a Constituição Federal de 88, além do Estatuto da Criança e do Adolescente. A conselheira apontou ainda o descaso por parte do governo, em relação a saúde infantil, a falta de medicamento e o impacto sociais devastador que pode ter para o futuro das crianças e adolescentes.

“Hoje, ele é inimigo da criança e atinge a população. Quem conhece ou mora no Gama sabe que a pediatria foi referência, ganhou o selo de Amigo da Criança pela Unicef. A pediatria era referência em outros Estados e agora virou isso. Qualquer serviço fechado na estrutura de um hospital, o último deveria ser a pediatria. O que o governo fez é desrespeitoso com as crianças que são de de extrema vulnerabilidade. Parece que não tem o mínimo da Constituição e do Estatuto da Criança e do Adolescente. Ele rasgou a Constituição e o Estatuto. O hospital está sem pediatria, sem neuro [neurologista pediatra], as crianças não conseguem medicação e nem trocar uma receita. Depois a criança ‘pipoca’ na escola, acaba reprovando de forma reiterada e vai para a marginalidade. Quem não investe na saúde e educação, vai ter que investir no sistema carcerário.”, disparou.

Ainda de acordo com Ana Maria, Rollemberg “precisa compreender que a sociedade o elegeu para administrar e não sacanear com nossas crianças e adolescentes.”, disse ao afirmar que o governador do DF é “irresponsável sem compromisso com a realidade. Um fanfarrão, um falacioso.”, concluiu.

Abraço no HRG e no HRSM

Em alusão ao recente abraço que o governador do DF, Rodrigo Rollembeg (PSB), ajudou a promover para tentar garantir a permanência da organização social  Instituto do Câncer Infantil e Pediatria Especializada (ICIPE), à frente da gestão do Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB), a sociedade civil organizada, moradores, conselheiros de saúde e entidades sindicais prometem um abraço no HRG.

O Fórum Comunitário e de Entidades do Gama (FComGama) convocou uma reunião extraordinária para as 18 horas desta quinta-feira (10/Abr), no Espaço Ideias para anunciar “uma manifestação unificada e simultânea em defesa da Saúde Pública no Hospital Regional do Gama (HRG) e no Hospital Regional da Santa Maria (HRSM). Os abraços devem ocorrer, simultaneamente, no sábado (12/Mai) às 10 horas, tanto no HRG quanto no HRSM.