Secretaria de Saúde do DF oferece capacitação sobre diabetes

66
Print Friendly, PDF & Email

Curso de aperfeiçoamento ocorre nos hospitais da Asa Norte e de Taguatinga
Por Jurana Lopes

Na próxima quarta-feira (19), de 8h às 12h, o auditório do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN) será palco para mais um curso de capacitação sobre diabetes. O encontro é aberto para todos os servidores da Secretaria de Saúde que queiram se capacitar e entender mais sobre a doença. A capacitação é feita ao longo do ano, sempre no período matutino.

No HRAN, ocorre sempre às penúltimas quartas-feiras do mês e no Hospital Regional de Taguatinga (HRT), nas últimas terças-feiras do mês. No HRT o curso já ocorre desde 1992 e possui uma média de 60 participantes. No HRAN, começou este ano e a média de participantes no curso é de 90 pessoas.

INSCRIÇÃO – Para participar do curso não há necessidade de inscrição prévia. Ao fim da capacitação, os servidores recebem um certificado de 30 horas, divididas em sete encontros. Entretanto, para recebe-lo, é necessário comparecer em 75% dos encontros.

Uma das finalidades do curso é capacitar cada vez mais os servidores sobre a doença. Os encontros são ministrados por equipe multiprofissional da SES, especialistas em diabetes e convidados. Entre os palestrantes estão médicos, enfermeiros, nutricionistas, educador físico e fisioterapeuta. Quem não é servidor também pode participar, porém, não receberá certificado.

OBJETIVO – De acordo com a coordenadora Diabetes da Secretaria de Saúde, Eliziane Leite, os profissionais que participam têm a oportunidade de aprofundar os conhecimentos em diabetes mediante o que há de mais atualizado na literatura científica e nos protocolos da Secretaria.

“O objetivo final do curso é a humanização dos profissionais, atendimento multiprofissional, melhoria na qualidade dos serviços prestados aos usuários, rastreamento precoce da doença, uso racional e organizado dos insumos, obtenção de melhores metas de controle glicêmico com diminuição de internações por diabetes, além da diminuição de amputações e outras complicações”, explica.

DOENÇA – O diabetes é uma doença crônica e metabólica, que pode ocorrer pela falta de insulina ou pela incapacidade da insulina exercer seus efeitos, o que acarreta em um aumento da glicose (açúcar) no sangue.

O diabetes tipo 1 ocorre em 5 a 10% dos pacientes, sendo mais rara. É a que gera dependência de injeções diárias de insulina e costuma aparecer cedo na vida do paciente. O tipo 2 é mais comum e pode ocorrer por maus hábitos alimentares, sedentarismo e obesidade. Nesse caso, os tecidos do corpo se tornam resistentes à insulina produzida pelo pâncreas aumentando a taxa de açúcar no sangue.

Em ambos os casos, o sintoma mais comum é o aumento da vontade de urinar. No diabetes tipo 1, esse sinal pode ser acompanhado por fome, sede, perda de peso, fraqueza e fadiga, enquanto no tipo 2 pode haver alteração na visão, dificuldade na cicatrização de feridas e formigamento dos pés.

Quando os sintomas são identificados, a recomendação é procurar o centro de saúde mais próximo. “No centro, realizam-se os exames (de sangue e de urina) para que se identifique a doença. Caso identificada, o paciente é encaminhado ao médico e, se necessário, a um endocrinologista”, explica Eliziane. Segundo ela, a estimativa é que no Distrito Federal existam 158.514 pessoas com diabetes.

Fonte: Agência Saúde DF