Câmara aprova reformulação de carreira dos servidores do SLU

Servidores do SLU comemoraram a aprovação nas galerias do Plenário.

Print Friendly, PDF & Email

Em sessão ordinária na tarde desta terça-feira (15), a Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou o projeto de lei nº 2.560/2022, do Executivo, que reformula a carreira dos servidores do Serviço de Limpeza Urbana (SLU). A proposta aprovada extingue a carreira de Gestão de Resíduos Sólidos e transfere os seus atuais integrantes para a carreira Políticas Públicas e Gestão Governamental do Distrito Federal.

O texto foi aprovado em dois turnos e redação final, com 16 votos favoráveis e a abstenção do deputado Reginaldo Sardinha (sem partido), e segue agora à sanção do governador Ibaneis Rocha. Servidores do SLU comemoraram a aprovação nas galerias do Plenário.

De acordo com o projeto, os servidores serão reenquadrados da seguinte forma:

Publicidade

I – de Gestor de Resíduos Sólidos para Gestor em Políticas Públicas e Gestão Governamental;
II – de Analista de Resíduos Sólidos para Analista em Políticas Públicas e Gestão Governamental;
III – de Técnico de Resíduos Sólidos para Técnico em Políticas Públicas e Gestão Governamental.

Pela proposta, os critérios para concessão de gratificações, adicionais e apuração de mérito para promoção dos servidores deverão obedecer às normas da nova carreira. Além disso, o texto prevê que os servidores devem permanecer lotados e em efetivo exercício no SLU ou cedidos para os diversos órgãos da administração pública, por um período mínimo de dezoito meses, contados a partir da vigência da Lei.

Na justificativa do projeto, o governo argumenta que “a similitude de atribuições e habilitações profissionais foi considerada relevante pela própria Constituição da República para a fixação dos padrões de vencimento e dos demais componentes do sistema remuneratório, elemento essencial na estruturação de qualquer carreira”.

FONTECLDF
Artigo anteriorPacientes com vitiligo do DF ganham novos benefícios
Próximo artigoMPDFT cobra plano para vacinar pessoas acamadas