Morre ex-vice-presidente da República Marco Maciel

Com atuação na vida política brasileira, por 45 anos, Marcos Maciel era conhecido deter virtudes e qualidades esperadas em um bom político, sempre aberto ao diálogo e com ótima capacidade de articulação

101

Print Friendly, PDF & Email

Morreu neste sábado (12), em Brasília, o ex-senador e ex-vice-presidente da República Marco Maciel. Aos 80 anos, Marco Maciel convivia com a doença de Alzheimer desde 2014 e, em março deste ano, foi diagnosticado com covid-19. Estava internado nesta semana, em decorrência de uma infecção bacteriana.

Marco Maciel foi velado na tarde deste sábado, no salão Negro do Senado e sepultado às 17h30 na Ala dos Pioneiros do Cemitério Campo da Esperança, em Brasília.

Trajetória

Além de ter sido senador por três períodos – de 1983 a 1991, de 1991 a 1994 e de 2003 a 2011 – ele foi vice-presidente da República nos dois mandatos de Fernando Henrique Cardoso, de 1995 a 1999 e de 1999 a 2003.

Publicidade

Também foi eleito imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL), em 18 de dezembro de 2003, como oitavo ocupante da Cadeira nº 39, na sucessão de Roberto Marinho.

Recebeu ainda títulos de Cidadão Honorário de 42 cidades brasileiras, a maioria delas em Pernambuco. A ele é atribuída a autoria de frases célebres como: “Tudo pode acontecer, inclusive nada”.

Suscinto

Em 2000, este articulista de Política Distrital, então CEO de uma empresa de Tecnologia e Comunicação, foi convidado a desenvolver o website da vice-presidência da república. Na ocasião, Marco Maciel era vice-presidente da República.  O site foi desenvolvido com duas temáticas, a primeira que abordava a pessoa do vice-presidente, e a segunda a Vice-Presidência da República.

E episódio foi marcante para este articulista pois após a publicação do website, a Secom da Vice-Presidência remeteu um e-mail, com o comentário de Marco Maciel, em relação ao site, que se resumiu a: “Lindo”.

 

VIAInformações de Agência Brasil
Artigo anteriorMomento é de mobilizar categoria para pressionar a aprovação do piso salarial da enfermagem, aponta Jorge Vianna
Próximo artigoVacinação contra covid-19 é ampliada para pessoas com 50, 51 e 52 anos no DF