Atestados on-line estão prorrogados no DF até o mês de junho

Publicada na edição desta terça (23) do Diário Oficial do DF, medida segue os protocolos de prevenção à covid-19

Print Friendly, PDF & Email

Atendimento on-line tem o objetivo de reduzir a circulação de pessoas na Subsaúde

Os servidores do Governo do Distrito Federal (GDF) poderão fazer a homologação dos seus atestados médicos e odontológicos de forma on-line até 30 de junho. De acordo com a Portaria nº 76, publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta terça-feira (23), o prazo foi prorrogado, mais uma vez, em virtude dos efeitos da pandemia da covid-19.

Após um ano da publicação da primeira portaria, em março de 2020, foram registrados 100 mil processos de homologações tramitados de forma eletrônica.

O atendimento realizado de forma on-line tem o objetivo de reduzir a circulação de pessoas na Subsecretaria de Segurança e Saúde no Trabalho (Subsaúde), da Secretaria de Economia (Seec), e evitar a propagação da covid-19. A restrição de comparecimento presencial à perícia médica fez com que, diariamente, cerca de 1,2 mil pessoas deixassem de transitar pelas instalações da unidade.

Publicidade

De acordo com a titular da Subsaúde, Ana Paula Delgado, a necessidade de adoção de protocolos de caráter preventivo protegeu os servidores. “Em especial, os idosos, gestantes, portadores de comorbidades, pós-operatórios imediatos e crianças, que por muitas vezes acompanhavam os pais”, destaca.

A subsecretária lembra que as demais atividades periciais, de segurança do trabalho, promoção à saúde e de epidemiologia, permanecem presenciais. “Estamos resguardando os protocolos de biossegurança por meio de triagem prévia, uso de equipamentos de proteção individual, distanciamento mínimo dentro das instalações e higienização dos ambientes com frequência”, explica.

Atestado on-line

O servidor que necessitar de licença médica deve acessar o site o site do Sistema de Atendimento de Perícia Médica   ou ligar para o telefone 156 para marcar a perícia oficial. Depois, precisará criar um processo sigiloso no Sistema Eletrônico de Informações (SEI).

Após o credenciamento do processo junto à Gerência de Medicina Forense (Gemed), que é o setor responsável pela tramitação das homologações, um perito será credenciado para analisar cada caso.

Automaticamente, a Gemed renuncia à credencial do processo. Ou seja, após a distribuição das homologações, a responsabilidade sobre a análise e os prazos de cada processo passa a ser de cada profissional perito. Após a conclusão da perícia, o servidor pode acessar o resultado pelo mesmo site de atendimento da perícia.

FONTEAgência Brasília
Artigo anteriorSaúde abre processo simplificado para contratar 250 aposentados no DF
Próximo artigoGDF Saúde já assistiu 63 pessoas com internação por covid-19 em março