Hospital da Criança realizará transplantes de fígado pediátrico a partir de 2020

37


Print Friendly, PDF & Email

Profissionais do DF serão treinados pelo Hospital Sírio-Libanês

Leandro Cipriano

Um novo passo foi dado para realizar transplantes de fígado pediátrico no Distrito Federal. A partir de novembro, o Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB) receberá a tutoria do Hospital Sírio-Libanês nesse tipo de procedimento. Um termo de cooperação foi assinado, nesta segunda-feira (21), para oficializar a parceria entre as duas instituições.

A cooperação prevê a oferta de bolsas para oito profissionais do HCB. Médicos, enfermeiros, assistentes sociais e psicólogos serão treinados em São Paulo pela equipe do Sírio-Libanês, até dezembro de 2020. O objetivo do Hospital da Criança, que já é um centro de referência no tratamento de doenças hepáticas, é realizar os transplantes hepáticos pediátricos no DF a partir do final de 2020.

“Esse trabalho é muito importante, porque os pacientes infantis da nossa região são encaminhados para outros locais na hora de fazerem o transplante. Temos, hoje, 34 pacientes necessitando do transplante hepático infantil. A partir do momento em que o HCB começar a realizar, todos eles serão atendidos aqui, sendo mais um marco para o DF”, destacou o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, presente à cerimônia de assinatura.

Publicidade

Uma das que anseia pela novidade é Denise Moreira, 31 anos, mãe do pequeno André Luiz, de oito meses, que espera por um transplante de fígado enquanto é acompanhado no HCB. “Além de ser muito dispendioso ir para São Paulo fazer o transplante, é muito cansativo ir para outro estado. Fazer aqui é ter o conforto familiar, fora a redução de gastos. Já tivemos que ir lá para as consultas iniciais, mas com esse acordo, estou torcendo para ele ser operado aqui”.

Ela, junto com seu filho e demais crianças e adolescentes que já foram pacientes no HCB e fizeram o transplante em São Paulo acompanharam cada representante e gestor à mesa para a assinatura do termo. Uma delas foi a pequena Maria Júlia, que disse ter “um pedacinho da mamãe” dentro de si, depois que recebeu parte do fígado dela.

“Esses transplantes trazem mais esperança de vida aos pacientes, mas eles têm data marcada, porque precisam ser feitos em pacientes com menos de dois meses de idade para ter resultado. Se chegar tardiamente, perde-se a chance de fazer a cirurgia”, explicou Elisa Carvalho, diretora do Corpo Clínico do HCB.

Parceria

Também presente ao evento, o superintendente executivo do HCB, Renilson Rehem, ressaltou que a parceria com o Sírio-Libanês “é mais um passo para consolidar o hospital como referência no DF”.

Na mesma linha, Newton Alarcão, presidente do Instituto do Câncer Infantil e Pediatria Especializada (Icipe), que gere o HCB, destacou a cooperação como parte da história da unidade. “O hospital nasceu da parceria entre médicos, pacientes e comunidade. Esse momento é mais uma oportunidade de estarmos aprendendo a fazer o melhor, com segurança e excelência, toda essa parte de transplante hepático”.

Tutoria

A tutoria será feita de acordo com o preconizado pelo Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS), do Ministério da Saúde, de modo a preparar profissionais da área clínica, cirúrgica e complementar do HCB.

“A tutoria vai agregar ainda mais qualidade ao que já vem sendo desenvolvido aqui no Hospital da Criança, com a ampliação dos serviços prestados à população e mais planejamento por parte dos profissionais da instituição”, ponderou o substituto do coordenador-geral do Sistema Nacional de Transplantes, do Ministério da Saúde, Leonardo Reis.

“Esse é um projeto do ministério, que o Sírio-Libanês executa por meio do Proadi, que tem como objetivo a capacitação e transferência de conhecimento para os profissionais da rede pública”, ressaltou a gerente de Assistência de Responsabilidade Social do Hospital Sírio-Libanês de São Paulo, Adriana Moraes.

Fonte: Agência Saúde DF