Jorge Vianna cobra incorporação da GATA aos servidores da Saúde e ganha apoio do presidente da CLDF

856


Print Friendly, PDF & Email

Após discurso de Vianna, presidente da CLDF se compromete em verificar viabilidade e provocar reunião com Executivo, para ver tentar garantir incorporação da gratificação

Por Kleber Karpov

Na quarta-feira (7), o deputado distrital, Jorge Vianna (Podemos), utilizou a tribuna da Câmara Legislativa do DF (CLDF), para cobrar do Executivo, o pagamento da incorporação da Gratificação de Atividade Técnico-Administrativa (GATA), à carreira da Assistência Pública à Saúde da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF).

Vianna lembrou que se reuniu, no final de abril, com o governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), em que apresentou a pauta de reivindicações, dos profissionais de saúde da SES-DF, dentre essas o pagamento da incorporação da GATA. Na ocasião, segundo o parlamentar, o chefe do Executivo se mostrou sensível e pediu celeridade, por parte da equipe de governo, para viabilizar e atender o pleito.

Porém, segundo Vianna, após três meses, embora tenha recebido o compromisso por parte do governador, até o momento, os servidores da SES-DF, permanecem sem a incorporação da GATA. “Eu tenho certeza, que se fosse pelo governador Ibaneis, já teria assinado, principalmente, alguns pedidos daqui. Mas a equipe em órbita, parece que não está dando tanta atenção, como deveríamos ter.”.

Publicidade

Greve e corte de ponto

O deputado lembrou que os servidores aguardam há 12 anos, pelo pagamento da incorporação da GATA. Luta essa que culminou em uma greve de 28 dias, realizada por servidores da Saúde, no final de 2016.

O parlamentar recordou ainda a postura, que classificou de “covarde”, por parte do ex-governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB), ao ordenar o corte dos dias parados, o que deixou centenas de servidores da saúde, praticamente sem salários. Suspensão essa revertida apenas, após judicialização, por parte do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (SINDATE-DF), que resultou em decisão favorável à categoria de auxiliares e técnicos em Enfermagem.

“Foram 28 dias, os trabalhadores me ligavam chorando porque não tinham pagamento. Nós revertermos na Justiça, porque o trabalhador só poderá ter o ponto cortado, quando não houver mais nenhum recurso ou possibilidade de pagamento de horas.”, disse ao lembrar que os servidores grevistas poderiam repor as horas paradas por compensação.

Greve dos metroviários

Tal citação, por parte do deputado, ocorreu se deu, em alusão a recente decisão, por parte do Executivo, de descontar os dias parados, por parte dos metroviários. Categoria essa que finalizou, recentemente, o movimento paredista, após 77 dias de paralização. “Vamos tentar achar uma saída, de modo que eles não sejam penalizados”, sugeriu Vianna.

Apoio do Legislativo

Após a fala do deputado, o presidente da CLDF, Rafael Prudente (MDB), lembrou reuniões com Vianna, ocasião em que o então diretor do SINDATE-DF, pedia apoio para incorporar a GATA. Prudente se comprometeu em fazer um levantamento de disponibilidade de recursos e articular reunião junto ao Executivo, para tentar garantir o pagamento da gratificação.

“Quero reconhecer a luta de vossa excelência, desde que quando estava na presidência do Sindicato e nos reunimos várias vezes na salinha aqui ao lado, e uma de suas principais cobranças era a respeito da GATA. Nós temos mais de cinco anos, com os servidores da saúde, sem nenhum tipo de reajuste. E vossa excelência pode contar comigo, para a gente agendar uma reunião, primeiro fazer um levantamento dos recursos necessários para isso, conversar com o secretário de Fazenda e depois levarmos uma solução ao governador. Uma luta justa e pode contar comigo para fazer esse encaminhamento.”, disse Prudente.

Fonte: Jorge Vianna