Retirada de médicos cubanos deve ter pouco impacto no DF

189


Print Friendly, PDF & Email

Apenas 20 médicos cubanos atuam no DF, segundo Secretaria de Saúde

Por Kleber Karpov

O governo cubano anunciou, na quarta feira (14/Nov), a retirada dos médicos que atuavam no programa Mais Médicos. Decisão essa anunciada após o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), condicionar a atuação dos profissionais de saúde a realização do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas (Revalida), direcionado aos médicos que se formam no exterior para atuarem no país. No Distrito Federal, saída dos trabalhadores deve ter pouco impacto.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), apenas 20 médicos cubanos atuam na Saúde Pública do DF, apenas 20 médicos cubanos, atuam no DF na atenção básica de saúde do DF. E, em se confirmando o retorno desses profissionais para Cuba, a pasta deve realizar uma rápida reposição dos quadros, por meio de servidores concursados.

“A Secretaria de Saúde conta com 20 médicos cubanos do Programa Mais Médicos. Caso esses profissionais deixem o programa, a secretaria poderá repor o quadro com servidores admitidos por concurso público (com convocação em aberto) SIC.”.

Publicidade