Desistência de Joaquim Barbosa em concorrer à Presidência da República pode afetar reeleição de Rollemberg no DF

625
Print Friendly, PDF & Email

Com rejeição próximo aos 90% Rollemberg perde nome de peso em palenque eleitoral

Por Kleber Karpov

Por meio do Twitter, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa anunciou a desistência à candidatura para concorrer à Presidência da República, por questões “estritamente pessoal”. Tal desistência, no DF, pode afetar o ‘desempenho’ do governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB), na tentativa de reeleição.

Na expectativa de ter um nome de peso para a corrida presidencial, Joaquim Barbosa passou a ser a grande aposta do Partido Social Brasileiro (PSB), após o apresentador Luciano Huck também desistir da disputa. O ex-ministro do STF chegou a se filiar ao PSB, no início de abril, aspirante a disputa nas próximas eleições.

No DF, na ocasião da filiação de Barbosa, a legenda deu com a exata noção da importância da adesão do ex-ministro à agremiação partidária ao publicar no facebook que “temos a certeza que será uma grande contribuição em nossa Bancada.”. Porém, com a desistência, a legenda leva mais um duro golpe.

Com uma rejeição próxima aos 90%, o governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB), perde a oportunidade de um ter ‘um ombro amigo’, para tentar para dar um ‘up’ na tentativa de reeleição. Embora nada impeça Barbosa de subir no palanque de Rollemberg, uma vez fora da disputa presidencial, o impacto deixa ter o mesmo peso.

Com Rollemberg sem o ombro amigo, os prés-candidatos ao governo do DF ganham comemoram mais essa vantagem para tentar destronar Rollemberg, ainda em primeiro turno.