Adiantamento de Salários do GDF: A falácia de Rollemberg no dia do Servidor Público

283


Print Friendly, PDF & Email

De 115 mil, apenas 18 mil servidores devem receber salário adiantado

Por Kleber Karpov

Para tentar justificar ter ‘metido a mão’ nos recursos do Instituto de Previdência dos Servidores do DF (IPREV), o governador, Rodrigo Rollemberg (PSB) lança mais uma piada aos servidores públicos. Rollemberg anunciou (28/Out) o adiantamento de pagamento de salários do mês de outubro, para o dia 3 de novembro, dos servidores públicos do DF (Veja aqui).

Porém, a grande piada por parte de Rollemberg é que, na divulgação do adiantamento de salários dos servidores públicos, o chefe do Executivo informa a exclusão dos profissionais da Saúde e Educação. A justificativa é que ambas as categorias recebem por meio do Fundo Constitucional do DF (FCDF).

O sórdido é que, após três anos de pancadaria em cima no funcionalismo público do DF, no dia em que se comemora do Dia do Servidor Público, ao mesmo tempo em que Rollemberg tenta se fazer de ‘bom samaritano’ ainda goza da cara de seus colaboradores.

Publicidade

Isso porque em uma rápida visita ao Portal da Transparência do GDF é possível constatar que o Executivo conta atualmente com 175 mil servidores. Desses, 115 mil ativos e 60 entre inativos e pensionistas.

Porém, dos 115 mil servidores ativos, 96,8 mil pertencem às categorias vinculadas a Educação com 65 mil e  a Saúde é responsável por outros 31.7 mil colaboradores. Nesse caso, de acordo com dados do GDF, aproximadamente 100 mil servidores recebem salários, provenientes do FCDF.

Nesse contexto, de acordo com dados do próprio GDF, apenas cerca de 18,2 mil, entre os servidores públicos da administração direta e os terceirizados, devem ser contemplados com os salários adiantados de Rollemberg.

Política Distrital (PD) conversou com o vice-presidente do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (SINDATE-DF), Jorge Vianna que criticou a postura de Rollemberg.

“Ao sugerir que o GDF vai adiantar o pagamento de salários dos servidores públicos, na prática o governador, além de promover tratamento diferenciado entre os servidores públicos, diga-se de passagem, prática recorrente por parte desse governo, ele [Rollemberg] vai adiantar os salários apenas do pessoal da Administração direta.”