Após denúncia de presidente do SindSaúde-DF, GDF solta Nota Oficial, mas não explica omissão de governador

85


Print Friendly, PDF & Email

Rollemberg tenta tirar o ‘corpo fora’ e jogar a bomba apenas para acima da denunciante? Como diz o velho sábio: “A corda arrebenta sempre para o lado mais fraco”. Será?

Por Kleber Karpov

O GDF soltou neste sábado (16/Jul) uma Nota Oficial se posicionando em relação a denúncias veiculadas pela Isto é (15/Jul), sobre existência de propina na Secretaria de Estado de Fazenda do DF (Sefaz), na gestão do governador Rodrigo Rollemberg (PSB). Complementar à matéria da Revista, o Metrópoles, também publicou o áudio referido na matéria, na mesma data.

Embora O GDF tenha se pronunciado afirmando que ingressou com queixa-crime contra a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Saúde do DF (SindSaúde-DF), Marli Rodrigues, além de denunciar ao Ministério Público e pedir apuração do caso à Procuradoria-Geral do DF, Rollemberg não explica, porque não deu encaminhamento , ou solicitou investigação às denúncias recebidas do vice-governador, R enato Santana (PSD), gravado por Marli Rodrigues, junto e na casa do Ouvidor Geral do DF, Valdecir Rodrigues (PSD).

Isso porque no áudio disponibilizado por Metrópoles, Santana afirma ter informado Rollemberg sobre o suposto esquema de propina existente na SEFAZ, tão logo tomou recebeu a denúncia do esquema, na gestão Rollemberg.

Nota Oficial do GDF

Nota oficial

 O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, determinou à Controladoria-Geral do DF que tome todas as providências concernentes à reportagem da edição 2432 da revista Isto É, que cita um diálogo no qual o vice-governador Renato Santana revelaria ter conhecimento de uma suposta cobrança de propina no governo de Brasília. E determinou também que a Polícia Civil abra imediatamente uma investigação para apurar o caso. O governo de Brasília também encaminhará ao Ministério Público um pedido de investigação.

A reportagem não aponta quem praticou ou quem se beneficiou das supostas ações criminosas. O vice-governador Renato Santana chegou a se referir à possibilidade de haver irregularidades na secretaria de Fazenda, mas a apuração feita imediatamente pelo governo não identificou o nome citado por ele no quadro de servidores da Secretaria de Fazenda. Por isso, o governo de Brasília está solicitando ao vice-governador Renato Santana que oficialize os supostos casos de corrupção de que teria conhecimento, detalhando os nomes dos envolvidos e os respectivos contratos firmados com o governo de Brasília.

O governador Rodrigo Rollemberg decidiu ingressar com uma queixa-crime contra a presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde (SindSaúde), Marli Rodrigues, pelas palavras difamatórias com que ela se referiu a ele nas gravações publicadas pela imprensa.

Por orientação do governador Rodrigo Rollemberg, a Controladoria-Geral do DF tem agido de forma preventiva e, na ocorrência de denúncias, com a rapidez necessária para apurar e evitar possíveis prejuízos aos cofres públicos.

O governo de Brasília tem confiança que o Ministério Público apurará os fatos e tomará as medidas exigidas nesse caso.

O governo de Brasília não compactua com nenhum desvio no que se refere à boa gestão dos recursos públicos

CLDF quebra recesso

Publicidade

Após divulgação das denúncias, a presidente da Câmara Legislativa do DF (CLDF), Celina Leão (PPS), agendou reunião extraordinária para para segunda-feira (18) da Mesa Diretora da Câmara Legislativa com os membros da CPI da Saúde, instalada na Casa.

Nota Oficial da CLDF

Nota Oficial

Considerando as notícias veiculadas pela revista IstoÉ acerca da existência de suposto esquema de pagamento de propinas no âmbito do GDF, convoco reunião extraordinária da Mesa Diretora com membros da CPI da Saúde e demais parlamentares a realizar-se na próxima segunda-feira(18), às 10 horas, na sala da Presidência.

Brasilia, 15 de julho de 2016.

Deputada Celina Leão – Presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal

Explicações

Esse é um tema polêmico e desperta o amor e o ódio de muitos personagens ilustres do meio político, jornalístico e, sobretudo de gestores de secretarias do GDF.

Mas fato é que o áudio de Marli Rodrigues traz sérias denúncias e todas devem ser apuradas, sem paixões. Afinal, Rollemberg, em Nota Oficial já deixou claro que deve encarnar o espírito da própria presidente da Agefis para ‘tratorar’ a denunciante. Mais que isso, o GDF ignora as declarações do vice-governador, que havia comunicado o esquema para Rollemberg  para tentar  distanciá-lo da bomba de nitroglicerina que tem em mãos. Pelo ‘andar da carruagem’, não é só a sindicalista que deve ter que se explicar.