SAMU tem investimento, do GDF, reduzido em mais de 80%, afirma Chico Leite

36
Print Friendly, PDF & Email

Em constante queda desde 2012, quando ultrapassaram os R$ 39 milhões, hoje, os recursos autorizados para o serviço chegam a pouco mais de R$ 7 milhões. Uma redução de 81.3%

De acordo com dados levantados pelo mandato do deputado Chico Leite (Rede), o cenário não muda nos últimos anos e os investimentos em melhorias para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) seguem em constante queda. Se compararmos o orçamento autorizado para o serviço do ano passado para este ano, é possível constatar uma redução de 57.88%. R$ 17,3 milhões em 2015, contra R$ 7,3 milhões em 2016.

O detalhamento mostra que, no ano passado, dos 17,3 milhões autorizados pelo GDF, R$ 15,9 milhões foram empenhados e R$ 11,4 milhões foram liquidados. Em 2016, o recurso autorizado caiu para R$ 7,3 milhões; desse total, R$ 2,2 milhões foram empenhados, mas nenhum centavo foi liquidado até o momento.

Preocupado com a situação, Chico Leite questiona sobre qual será o futuro do serviço se o governo continuar agindo dessa forma. “Nesse ritmo o SAMU alcançará o seu fim. Com os recursos em constante queda, chegará o momento em que não existirá mais orçamento para o programa e mais uma vez a sociedade é quem fica no prejuízo”, destacou.

Criado em 2003, o SAMU tem como finalidade prestar socorro à população em casos de emergência. Chico Leite defende a importância da manutenção do serviço, haja vista que foi fundamental para a redução no número de óbitos, do tempo de internação em hospitais e das sequelas decorrentes da falta de socorro precoce.

Publicidade

“A população clama por maior atenção para a saúde pública. Se o governo deixar de destinar os recursos necessários para a manutenção dos serviços básicos e essenciais, infelizmente é a população quem vai sofrer as consequências” concluiu.

Fonte: Blog do Callado