Rafael Prudente pede retorno de médicos, em atividades administrativas, para a linha de frente da Saúde

29
Print Friendly, PDF & Email
Por Kleber Karpov

O deputado distrital, Rafael Prudente (PMDB), afirmou no plenário da Câmara Legislativa do DF (CLDF)(23/Set) ter feito requerimento da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF) para saber o quantitativo de médicos atuando em áreas administrativas. A intenção é saber a quantidade de médicos que atuam em áreas administrativas, além de recomendar que esses profissionais sejam direcionados à atividade fim e substituídos por servidores que atuem no segmento administrativo da SES-DF.

Na ocasião do discurso Prudente citou a ouvidoria da SES-DF: “Cito aqui, por exemplo, a parte da Secretaria de Saúde onde recebe as reclamações, a ouvidoria. Hoje quem é chefe da ouvidoria é uma médica pediatra. Acho que essa médica seria um pouco mais bem utilizada para fazer os seus atendimentos na rede pública de saúde.”

Prudente sugeriu que os médicos sejam direcionados à atividade fim e que outros servidores atuem em áreas administrativas os substituam: “Não é possível que nós não consigamos arrumar, em um universo de 30 mil servidores da Secretaria de Saúde, alguém competente para fazer esse trabalho administrativo.“, afirmou.

Política Distrital fez esse alerta

Publicidade

A médica em questão, mencionada por Prudente é a neuropediatra, Ana Luiza de Oliveira Machado, doutorada em Alemanha, neurocirurgia de crânio e coluna.

Política Distrital publicou matéria (11/Mai) intitulada Neuropediatra e sete anestesistas cumprem funções administrativas na Secretaria de Saúde, durante a gestão do ex-secretário de Saúde, João Batista de Sousa.

Além da médica, o Blog mencionou sete anestesistas e especialistas em cardiologia, odontologia, medicina do trabalho e em outras especialidades, que poderiam ajudar a recuperar a Saúde do DF na linha de frente da Secretaria.

Em tempo

Recentemente, ao Política Distrital, o secretário de Saúde, Fábio Gondim, afirmou que tem realizado remanejamentos de médicos em áreas administrativas para o ‘front’ na atividade fim. No entanto Ana Luiza, que poderia ajudar a criar um atendimento de referência em neuropediatria, no Hospital Materno Infantil (HMIB), por exemplo, permanece subutilizada na ouvidoria da SES-DF.

ERRAMOS

Onde se lê: Ana Luiza de Oliveira Machado, doutorada em Alemanha, neurocirurgiã de crânio e coluna.

Entende-se: Denise Bonfim, neuropediatra.

ESCLARECIMENTO:

Política Distrital esclarece que Ana Luiza de Oliveira mencionada na matéria supracitada, neurocirurgiã de crânio e coluna, essa sim é doutorada em Alemanha e permanece lotada na Diretoria de Procedimentos Disciplinares da Corregedoria da SES-DF, onde preside uma das Comissões.

Atualização: 24 de setembro de 2015 às 11h36

Atualização: 24 de setembro de 2015 às 18h12

2

Comentário