Nova câmara fria duplica a capacidade do DF armazenar medicamentos no DF

Inaugurado nesta quinta (30), espaço possui 100 metros quadrados e sistemas de segurança para garantir temperatura de 4° C

Novo equipamento também vai facilitar o atendimento às farmácias de alto custo, bem como a todas as unidades de saúde

A Farmácia Central da Secretaria de Saúde (SES) tem agora uma nova câmara fria com o dobro do tamanho da que se encontra atualmente em uso. Com área de 100 m², o equipamento, no qual foram investidos R$ 289 mil, será utilizado para armazenar remédios, insulina, reagentes e outros itens que necessitam ser mantidos a baixas temperaturas.

“Quando a gente melhora o nosso braço logístico, ampliamos a nossa assistência à população”, afirmou a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio, durante a cerimônia de inauguração da câmara, na manhã desta quinta-feira (30).

A nova máquina vai facilitar o atendimento em todas as unidades da rede. “Haverá mais agilidade para que o cidadão receba o medicamento na hora certa”, reforçou o subsecretário de Logística em Saúde, Thiago Mendonça Chagas. Outra vantagem é que a nova câmara fria fica no mesmo local onde estão os demais estoques. “Agora, vamos conseguir receber um aporte maior de medicamentos, com uma logística melhor de recebimento”, disse a diretora de Logística da SES, Renata Moura Nascimento.

Publicidade

11 milTotal de remédios disponibilizados mensalmente pelo programa Entrega de Medicamentos em Casa

O equipamento conta com baterias e sistema computadorizado para manter a temperatura estável, a 4° C. Em caso de qualquer falha, uma ligação telefônica é feita automaticamente para uma lista de servidores pré-cadastrados. Também há uma antecâmara resfriada a 16° C, o que permite reduzir a diferença de temperatura sempre que a porta é aberta, além de diminuir o desconforto térmico das equipes de logística.

Além da Farmácia Central, a SES também conta com câmara fria na Rede de Frio Central, onde são armazenados vacinas e soros para tratar picadas de animais peçonhentos. A unidade tem ainda freezer de ultrabaixa temperatura, câmaras frias verticais e salas com temperatura controlada.

Cidadão é o foco

A secretária de Saúde lembrou o esforço para ampliar a capacidade de distribuição de medicamentos, com destaque para as farmácias de alto custo. Além do novo equipamento, mais servidores foram destacados para atuar na logística e na entrega dos itens aos pacientes. “Temos sempre que focar o usuário”, afirmou a gestora.

De maneira presencial, nas unidades da Asa Sul, Ceilândia e Gama, são executados, em média, 800 atendimentos diários. Já por meio do programa Entrega de Medicamentos em Casa, são disponibilizados cerca de 11 mil medicamentos por mês.

FONTEAgência Brasília
Artigo anteriorAnvisa prorroga importação de imunoglobulina humana
Próximo artigoCirurgias ortopédicas no DF ficam mais rápidas e seguras