Preso, Milton Ribeiro, ex-ministro da Educação de Bolsonaro passar por audiência de custódia nesta quinta (23)

Milton Ribeiro passará por audiência da custódia

Print Friendly, PDF & Email

Por Kleber Karpov

O ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, deve passar por audiência de custódia, on-line, nesta quinta-feira (23/Jun). O caso ocorre após Ribeiro ter prisão decretada, pela manhã de quarta-feira (22/Jun), pelo juiz Renato Borelli, da 15ª Vara Federal do Distrito Federal.

O magistrado chegou a determinar a transferência do ex-gestor do Ministério da Educação (MEC), residente em Santos (SP), para a Superintendência da Polícia Federal (PF) em Brasília. Porém, sob alegação de falta tempo hábil para prover a logística necessária ao traslado de Ribeiro, em tempo hábil para participação da  audiência de custódia, prevista para as 14h.

Publicidade

Injusta

A defesa do ex-ministro, o advogado Daniel Bialski, divulgou uma nota em que afirma que “inexiste razão para a prisão preventiva editada” e que a “custódia é injusta, desmotivada e indiscutivelmente desnecessária”.

O advogado pretende entrar com um pedido de habeas corpus “visando o reconhecimento da coação ilegal imposta, especialmente porque os fatos são pretéritos e sem  contemporaneidade.”

Relembre o caso

Ribeiro foi um dos alvos da ‘Operação Acesso Pago’, que investiga o suposto “tráfico de influência e corrupção para a liberação de recursos públicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE)”, vinculado ao MEC.

Operação essa que teve início, em março desse ano, após vazamento de áudios em que Ribeiro, então ministro da Educação, acabou por revelar um esquema de atendimento de agendas e recursos do MEC, com prioridade, de lideranças evangélicas.

Em um dos áudios, Ribeiro foi enfático ao afirmar, em conversa gravada que “Foi um pedido especial que o presidente da República [Jair Messias Bolsonaro] fez para mim sobre a questão do [pastor] Gilmar [Silva dos Santos]´.

Na sequência da ligação o ex-ministro revelou se tratar de um esquema que envolvia prefeituras em diversos estados brasileiros. “A minha prioridade é atender primeiro os municípios que mais precisam e, em segundo, atender a todos os que são amigos do pastor Gilmar”, continua, em reunião com prefeitos.

 

 

 

 

 

Artigo anteriorPEC 11 do Piso Salarial da Enfermagem: Saiba quais são as próximas etapas
Próximo artigoSTJ: planos coletivos devem manter tratamento mesmo com cancelamento