Ibaneis paga cerca de R$ 19 milhões são pagos em benefícios sociais

Nos dois últimos dias, a Secretaria de Desenvolvimento Social concluiu o pagamento do DF Sem Miséria e do Cartão Prato Cheio

55
Print Friendly, PDF & Email

O Governo do Distrito Federal (GDF) pagou R$ 19.249.420,00 para beneficiários do DF Sem Miséria e do Cartão Prato Cheio nesta semana. Os dois benefícios atendem famílias em vulnerabilidade social inscritas no Cadastro Único que, no DF, está sob a gestão da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes).

R$ 9.801.920estão sendo pagos às 73.659 famílias pelo programa DF Sem Miséria referentes ao mês de agosto

DF sem Miséria

As famílias assistidas pelo programa DF Sem Miséria já podem fazer o saque do benefício de agosto. O valor total da folha de pagamento ficou em R$ 9.801.920,00, abrangendo 73.659 famílias. O DF Sem Miséria é um auxílio do GDF criado para complementar o benefício do Bolsa Família devido ao alto custo de vida da capital do país.

Pelas regras do programa federal, os beneficiários do Bolsa Família não podem receber o auxílio emergencial ao mesmo tempo e têm que optar por um dos dois benefícios. Mas o GDF manteve o pagamento do DF Sem Miséria mesmo para as famílias que optaram por suspender o pagamento do Bolsa Família.

Publicidade

“O governo entende que essa suplementação é fundamental para esses beneficiários, que já vivem em situação de vulnerabilidade social e não podem abrir mão dessa renda”Mayara Noronha Rocha, secretária de Desenvolvimento Social

Por causa dessa regra federal, desde que o auxílio emergencial começou a ser pago, há uma diferenciação na data do crédito do DF Sem Miséria para as famílias que optaram pelo auxílio. Na primeira leva de pagamento, o GDF pagou R$ 3.722.540,00 às 24.095 famílias que não recebem ajuda federal neste período da pandemia da covid-19. Nessa segunda leva, foram R$ 6.079.380,00 para atender às 49.564 famílias que optaram pelo auxílio emergencial.

“Todos já receberam o complemento do Bolsa Família, inclusive as famílias que estão na lista do auxílio emergencial do governo federal, ou seja, estão sem receber o Bolsa Família neste período de pandemia. O governo entende que essa suplementação é fundamental para esses beneficiários, que já vivem em situação de vulnerabilidade social e não podem abrir mão dessa renda”, explica a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha.

O DF tem 186.862 famílias inscritas no Cadastro Único. Desse total, 90.985 recebem o Bolsa Família, do governo federal, e 73.659 também têm direito ao DF Sem Miséria.

R$ 9.447.500é o valor do crédito do Cartão Prato Cheio referente ao mês de agosto para 37.790 pessoas

Cartão Prato Cheio

Para quem recebe o Cartão Prato Cheio, o crédito de agosto também já está disponível. Foram beneficiadas nesse mês 37.790 pessoas, um investimento de R$ 9.447.500,00. Com esse auxílio, o beneficiário recebe crédito de R$ 250 para comprar os alimentos que a família precisa no comércio local. O benefício vale por seis meses.

No mês passado, foram incluídos 5.899 novos beneficiários, que já foram contemplados no último pagamento. “Estamos cumprindo o compromisso de incluir novos beneficiários a cada dois meses. Agora, em setembro, vamos ter a inclusão de novas famílias, já que um grupo recebeu o benefício por seis meses”, destaca a secretária Mayara Rocha.

“Quem tiver concluído o prazo, deve agendar um novo atendimento e passar por uma nova reavaliação socioassistencial. Basta ligar no 156 ou acessar o site da Sedes (www.sedes.df.gov.br)”, acrescenta a secretária.

Quem pode receber o cartão

Têm direito ao Cartão Prato Cheio pessoas com renda familiar igual ou inferior a meio salário mínimo por pessoa da família, que se encontrem em situação de insegurança alimentar e sejam moradoras do Distrito Federal, inscritas no Cadastro Único ou no Sistema Integrado de Desenvolvimento da Sedes.

Têm prioridade as famílias monoparentais chefiadas por mulheres com crianças de até 6 anos, com pessoas com deficiência ou idosas e pessoas em situação de rua, acompanhadas por equipes da assistência social e em processo de saída de rua.

Artigo anteriorApós intervenção do TCDF, Secretaria de Saúde revoga verba de representação para diretores do IGESDF
Próximo artigoGoverno Federal publica lei que prevê meios alternativos para prova de vida no INSS