Concurso Público: GDF autoriza realização para 14 carreiras

Portaria da Secretaria de Economia foi publicada do DODF desta segunda-feira (08). Número de vagas e aplicação das provas ainda não estão definidos

1149
Print Friendly, PDF & Email

A Secretaria de Economia autorizou a realização de concursos públicos para 14 carreiras de diversos órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF). A decisão foi publicada em portaria específica no Diário Oficial do DF desta segunda-feira (8). O número de vagas disponíveis assim como a data das avaliações ainda depende de levantamento dos órgãos.

O objetivo é repor as vacâncias e, assim, melhorar a qualidade do serviço prestado à população em diversas áreas, como saúde, educação e segurança.

Os concursos autorizados são para as seguintes carreiras:

Publicidade
  • Apoio às Atividades Policiais Civis;
  • Assistência Pública à Saúde;
  • Atividade de Defesa do Consumidor;
  • Atividades do Trânsito;
  • Auditoria de Atividades Urbanas;
  • Cirurgião-Dentista;
  • Desenvolvimento e Fiscalização Agropecuária;
  • Enfermeiro;
  • Gestão de Resíduos Sólidos;
  • Médico;
  • Planejamento Urbano e Infraestrutura;
  • Auditoria de Controle Interno;
  • Assistência à Educação;
  • Magistério

A realização da seleção, assim como a definição do quantitativo de vagas e possível cadastro de reserva, depende de manifestação favorável das áreas técnicas de pessoal, orçamento e finanças, subordinadas às Secretarias Executivas da Secretaria de Economia.

Os concursos também dependem de existência de vagas e da ocorrência de vacâncias que justifiquem suas reposições, até o término do período de restrição imposto pela Lei Complementar nº 173/2020.

É necessária ainda adequação orçamentária e financeira da nova despesa à Lei Orçamentária Anual (LOA), assim como sua compatibilidade com a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Os certames também ficam condicionados ao Decreto 40.467/2020.

FONTEAgência Brasília
Artigo anteriorUma vida dedicada a salvar vidas no Hospital de Base
Próximo artigoSobrecarga e tensão é o resumo da emergência do HRAN, aponta Jorge Vianna