Aumenta o número de equipes de Saúde da Família completas no DF

Mais 172 equipes foram reconhecidas pelo Ministério da Saúde neste ano

142
Print Friendly, PDF & Email

Por Josiane Carterle

Em todo o Distrito Federal estão os profissionais que atuam nas Equipes Estratégia Saúde da Família (ESF). Elas estão distribuídas nas 172 unidades básicas de saúde e contam com especialistas multiprofissionais. Ao todo, o DF possui 598 equipes, sendo 54 não consistidas, ou seja, existe a falta algum dos profissionais que compõem o grupo. Em dezembro de 2019 eram 221 equipes que estavam incompletas e, por esse motivo, não eram reconhecidas pelo Ministério da Saúde. Este ano, a Secretaria de Saúde completou mais 172 equipes, chegando a 544 o número ESFs completas. A meta é consistir ao menos outras 40 ainda neste ano.

“O mais importante disso tudo é que nós temos grandes vazios, apesar de o DF ser muito pequeno, mas muito populoso, encontrávamos vazios na questão do atendimento. Na disponibilidade na oferta de condições de atendimento na atenção primária. Então hoje temos uma cobertura muito maior dentro do DF e com isso quem ganha é a população. Uma atenção muito mais efetiva, muito mais ampla e que a gente tenha esse acesso cada vez melhor”, comemora o secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

Para o gestor, outro fator importante e primordial é o financiamento, pois o Ministério da Saúde é quem repassa os valores para assegurar as atividades da Atenção Primária. “A Secretaria de Saúde por meio da Subsecretaria de Atenção Integral à Saúde, juntamente  com o secretário adjunto tem buscado cada vez mais ampliar essas condições de atendimento melhorando o acesso para a população”, descreve Okumoto.

Cobertura

As equipes de Saúde da Família são compostas por, no mínimo, um médico generalista, ou especialista em Saúde da Família, ou médico de Família e Comunidade; enfermeiro generalista ou especialista em Saúde da Família; auxiliar ou técnico de enfermagem; e agentes comunitários de saúde. Podem ser acrescentados a essa composição os profissionais de saúde bucal: cirurgião-dentista generalista ou especialista em Saúde da Família, auxiliar e técnico em Saúde Bucal.

De acordo com o coordenador da Atenção Primária à Saúde, Fernando Erick Damasceno, a expectativa é de consistir mais equipes neste ano. “Com o projeto de incentivo aos programas de residência de medicina de família e comunidade temos a perspectiva de consistir mais 40 equipes”.

Cada equipe atende 3.450 usuários da rede pública de saúde do DF e, dessa forma, é possível ter uma estimativa de cobertura da população. Quando havia 372 equipes consistidas, em dezembro de 2019, a cobertura estimada das ações da Estratégia Saúde da Família era de 43,14% do total de habitantes, calculado em 2.974.703 na época. Com o aumento significativo no número de equipes consistidas, essa cobertura avançou para 62,24% da população em julho do corrente ano. A população considerada para o cálculo em 2020 é de 3.015.268 habitantes, ou seja, a abrangência estimada alcança 1.876.800.

Abrangência

Conforme a Política Nacional da Atenção Básica, cada equipe de Saúde da Família deve ser responsável por, no máximo, 4 mil pessoas, sendo a média recomendada de 3 mil pessoas, respeitando critérios de equidade para essa definição. É recomendado que o número de pessoas por equipe considere o grau de vulnerabilidade das famílias daquele território, sendo que, quanto maior o grau de vulnerabilidade, mais equipes devem estar consistidas naquele território.