Bancos de Leite comemoram aumento de doações no mês de junho

66
Print Friendly, PDF & Email

Os Bancos de Leite Humano (BLH) do Distrito Federal fecharam o mês de junho com 318,3 litros a mais arrecadados se comparado com o mês de maio. Essa alta, quando se compara com o mesmo período de 2019, representa um aumento 1% nas doações. No mês passado foram compartilhados 1.917,1 litros de leite materno. Para a coordenadora das Políticas de Aleitamento Materno, Mirian Santos, não faltam motivos para comemorar a marca, principalmente considerando os meses anteriores.

“A gente começou 2020 com um déficit de 30% e logo depois veio a pandemia. A cada mês a gente teve que trabalhar mais e, nesse mês, conseguimos ter um saldo positivo”, comemora a coordenadora.

Além do aumento nas doações de leite materno, o BLH também registrou 555 novas doadoras. “Todo mês nascem novas crianças e novas mulheres têm a chance de serem doadoras. Um pote de leite alimenta até 10 crianças”, ressalta Miriam agradecendo os funcionários do Banco de Leite, ao corpo de bombeiros – que é responsável pela coleta – e, principalmente, às doadoras.

ARRECADAÇÃO DE POTES – O mês de julho também trouxe uma nova fase da campanha permanente de arrecadação de potes de vidro para o armazenamento do leite. Pontos de coleta serão instalados nos hospitais da rede de saúde que possuam maternidade para que a população possa fazer sua doação.

Apenas potes de vidro com a tampa plástica poderão ser utilizados pelo BLH, pois para ser pasteurizado, o leite precisa ser aquecido a 62,5º por 30 minutos. Os recipientes plásticos não suportam este aquecimento. Recomenda-se também o pote de café solúvel, ou algum no mesmo modelo, para melhor condição de coleta e armazenamento do leite, devido a sua boca mais larga.

Potes com o fechamento à vácuo, como os de azeitona ou extrato de tomate, também não poderão ser utilizados, pois além do fechamento inadequado, a tampa de metal pode contaminar o leite.

Fonte: Agência Saúde