Segurança de servidores e condições de trabalho são temas de reunião do Sindate com gestores do HRG

65


Print Friendly, PDF & Email

Por Leandro Montes

Insegurança, falta de profissionais e outros assuntos foram os temas abordados durante reunião da direção do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem com gestores e profissionais do Hospital Regional do Gama (HRG), na última quinta-feira (7/11). O encontro ocorreu no auditório do Hospital e contou com a presença do presidente do Sindate-DF, João Cardoso e dos diretores Elza Aparecida e Moisés de Miranda, além do superintendente da Região Sul de Saúde, Dr. Alan Dualibi, do gerente interino de enfermagem, André Amorim e de outros gestores do hospital.

A segurança de servidores e pacientes do hospital foi o principal assunto discutido pela direção do Sindate. Após uma técnica em enfermagem ser sequestrada na manhã do domingo (03/11), no estacionamento da unidade de saúde quando deixava o plantão, a diretora do Sindate Elza Aparecida esteve no HRG na segunda-feira (04/11) e cobrou medidas para que fosse garantida a segurança dos profissionais.

A direção do hospital comunicou que na terça-feira (05/11), encaminhou ofício e solicitou ao comandante-geral da PM a presença e o retorno do posto da Polícia Militar no hospital em virtude dos inúmeros acontecimentos dos últimos 30 dias, com tráfico de drogas e violência envolvendo pacientes que acabaram gerando pânico aos servidores. A direção destacou que, temporariamente, como forma de reforçar a segurança no local, fechou alguns acessos do hospital que não possuem vigilância, até que haja a presença da PM na unidade.

Quanto à ampliação de horário da Unidade Básica de Saúde 6 do Gama (GSAP 6), os diretores do Sindate solicitaram aos gestores que durante o período noturno, de 18h às 22h, sejam disponibilizados um médico e enfermeiro para o plantão até às 22h, em virtude de serviços emergenciais. De acordo com o presidente do Sindate, João Cardoso, na última semana, os atendimentos na unidade estavam restritos devido à falta de profissionais, funcionando somente com técnicos em enfermagem e um agente comunitário de saúde.

Publicidade

A insegurança do posto de saúde também foi um dos pontos discutidos pelos diretores. Por ter um histórico de violência na região em que está localizado, os profissionais que atuam até às 22h estão inseguros. A direção da Região Sul de Saúde ressaltou que irá reforçar a segurança da unidade com um vigilante armado, bem como solicitar o reforço da PM no local.

Dimensionamento e falta de profissionais

A mesma solicitação da falta de profissionais foi feita para a Clínica Médica do HRG. A diretora Elza Aparecida reforçou a necessidade do dimensionamento de médico e enfermeiro, devido à gravidade dos pacientes internados. Aparecida lembrou que no domingo (03/11), os técnicos em enfermagem denunciaram ao sindicato a ausência dos profissionais, o que gerou sobrecarga no trabalho. Em resposta a solicitação da diretora, a diretoria de atenção hospitalar destacou que nas próximas semanas serão tomadas algumas medidas para evitar a falta de profissionais na unidade.

Padiolagem e 40 horas

Recorrente problema dos auxiliares e técnicos em enfermagem do HRG, a padiolagem mais uma vez foi um dos assuntos discutidos pelos diretores do Sindate. Elza solicitou que o hospital cumpra a Resolução nº 588/2018, do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), assim como a Nota Técnica Nº 453/2019 emitida pela AJL/SES em que retira o serviço da enfermagem, providenciando padioleiro e maqueiro para assumir os serviços de condução de maca e cadeira de rodas no hospital.

Na pauta da reunião, ainda foram citados a liberação das 40 horas para técnicos em enfermagem de setores prioritários que possuem um déficit de profissionais, como Clínica Médica, UTI Pronto Socorro, em virtude do TPD’s não estarem levando segurança no atendimento aos pacientes; a organização e o recolhimento de roupas sujas do PS e que sejam providenciados Equipamentos de Proteção Individual EPI para os servidores da assistência.

O presidente do Sindate-DF, João Cardoso e a diretora Elza Aparecida esperam que a partir da reunião, os gestores da Região Sul de Saúde e do HRH possam dar solução aos pontos que foram apresentados pelo Sindicato, no sentido de garantir segurança e melhores condições de trabalho a todos os servidores.

Fonte: Sindate-DF