Áudios do SindSaúde revelam pérolas. Seria cômico, se não fosse trágico

75


Print Friendly, PDF & Email

Em quase uma hora e meia de gravação da reunião gravada pela presidente do Sindicato dos Servidores em Estabelecimentos de Saúde do DF (SindSaúde-DF), Marli Rodrigues, o vice-governador do DF, Renato Santana (PSD-DF) e o ouvidor do GDF, Valdecir Medeiros, alguns comentários, embora pareçam cômigos, revelam o quão trágico está a gestão do DF. A mesma regra vale para notas oficiais emitidas por parte do governo e de secretarias.

Sangue no olho

Renato Santa afirma: “Eu tô vendo muita gente com sangue no olho.”.

Pesquisa de opinião

Renato Santana questiona Rollemberg sobre a pesquisa de Opinião que o coloca em primeiro lugar para reeleição em 2018: “Rodrigo, quem foi o mentiroso que te vendeu essa pesquisa?”. Renato Santana afirmou que gravaria um vídeo de 10 minutos, diariamente, para mostrar a realidade à Rollemberg.

Publicidade

Secretaria de Saúde

Afirma que todos os gestores da pasta são todos extremamente capacitados para desempenhar as funções para as quais foram contratadas.

Será que os deputados que destinaram R$ 350 milhões para a Saúde concordam ao descobrirem, segundo o distrital, Bispo Renato, que apenas R$ 50 milhões foram de fato utilizados concordam? Foi guardado para contratar as Organizações Sociais? Ou a SES-DF excluiu a ‘banda podre’ ao emitir tal parecer?

Falta elementos

GDF declara que não havia elementos para fazer investigação informada sobre a propina na Secretaria de Fazenda do DF, por vice-governador.

Na faixa de pedestre ou no pires?

O técnico em radiologia da Secretaria de Saúde, lotado no Cruzeiro, com pedido de remoção para outra unidade, por parte da presidente do SindSaúde ao vice-goverandor, não sabe se foi atropelado na faixa de pedestre ou se ficou no copo, na xícara, no pires ou no guardanapo.

Eliene Berg sabe, vice-governador sente.

Renato Santana afirma “Eu estou sentido o cheiro de explosivo ali na secretaria de saúde.”.

Vagabundo?

Vice-governador questiona quando a presidente do SindSaúde pretende montar a chapa. Marli Rodrigues responde: “Seria quando esse vagabundo desse Rollemberg pagar a nossa. as nossas, os nossos, os nossos reajustes. Quando ele vai pagar eu… Tem que ser em fevereiro.”.

Mui amiga!

A presidente do SindSaúde-DF revelou que é mais que amiga, que era irmã do vice-governador, no começo da reunião em que o gravou. Amigo da onça?

Corrupção

Presidente do SindSaúde afirma que odeia corruptos. Ah?