Emergência do HMIB é interditada por causa de abelhas. Abelhudas, grevistas ou parideiras?

71


Print Friendly, PDF & Email

A emergência do Hospital Materno Infantil (HMIB) foi interditada na manhã de quarta-feira (21/Out). Mas dessa vez a culpa não foi dos grevistas, da falta de leitos ou de remédios. Embora esse culpado parece ter gostado da unidade. Isso porque uma nova infestação de abelhas que resolveram fazer uma nova visita à unidade.

As abelhudas visitaram o HMIB no final de agosto e foi um corre-corre para transferir pacientes para outras enfermarias do Hospital e o Corpo de Bombeiros foi acionado para fazer a desinfestação na mesma data. Mas pelo jeito ou as abelhas estão desidratadas, ou querem garantir a procriação da nova geração, ou há alguém doce demais na unidade ou estão de complô contra o governo.

Embora não surpreendesse se estivesse ajudando na mobilização dos servidores da Saúde que andam revoltados com o governador, Rodrigo Rollembeg (PSB) e com o Tribunal de Justiça do DF uma vez que a multa diária da greve está estabelecida em R$ 300 mil, “enquanto os servidores do judiciário, sob nenhuma hipótese tiveram a greve declarada ilegal.”, conforme provocou uma servidora da Saúde, que não deseja ser identificada.

Política Distrital conversou com o secretário de Saúde do DF para saber o motivo da interdição do hospital. Gondim se limitou a dizer:  “Abelhas invadiram de novo. Coisa inusitada”. Mas o blog percebeu uma pontinha de sensação que as abelhudas estavam aprontando com o Secretário.

Em nota a assessoria de comunicação (Ascom) informou ao Blog que o Corpo de Bombeiros localizou a colmeia de abelhas, no telhado da unidade e, fez a aplicação de um produto no local e a retirada dos favos. A SES-DF afirmou ainda que na quinta-feira (22), pela manhã, os bombeiros farão nova avaliação e, só depois, será possível saber se a unidade poderá ser reaberta.

Publicidade