Audiência públicas debaterá a ampliação da área do Parque Nacional Chapada dos Veadeiros

86
Print Friendly, PDF & Email

Questões atinentes ao Parque Nacional Chapada dos Veadeiros, a cerca de 200 quilômetros de Brasília, na cidade de Alto Paraíso/GO, têm sido objeto de preocupação da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados.

22.04.15-Augusto-Carvalho
Deputado Federal, Augusto Carvalho (SD)

O deputado federal Augusto Carvalho (SD), propôs, há um mês, uma audiência pública para examinar os problemas relativos a criação do Plano de Manejo da APA do Pouso Alto, Área de Proteção Ambiental instituida pelo Decreto Estadual 5.419/01, que abrange os municípios de Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Colinas do Sul, Nova Roma, São João da Aliança e Teresina de Goiás.

No desdobramento dessa audiência pública, Augusto Carvalho esteve em reunião com o Governador Marconi Perillo, do Estado de Goiás, a quem fez um apelo para que o Conselho da APA venha a ser modificado de maneira a incorporar, nos debates, nas decisões, os representantes que estão excluídos, como os da comunidade Kalunga e científica.

É bom frisar que a UnB tem pesquisas importantíssimas sobre o cerrado que vêm sendo desenvolvidas naquela região e está fora do debate. Segundo Carvalho, essa exclusão é ‘‘inaceitável’’ e “turva as verdadeiras decisões que poderiam emanar do Conselho”.

Na sequência dessa audiência, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), publicou no Diário Oficial do dia 24/06, convocação para um ciclo de audiências públicas para a discussão sobre a ampliação da área do Parque Nacional Chapada dos Veadeiros.

Com a decisão do Governo, Carvalho registrou um elogio ao ICMBio “que está empenhado na expansão do parque’’. “Dessa forma, eu creio que poderá ser mais preservado, mais protegido, não apenas o bioma daquela região, mas, principalmente, será uma forma de incrementar o setor de turismo, que é muito importante para a própria economia das cidades que integram a APA do Pouso Alto”, frisou.

“Há anos a comunidade da região aguarda a aprovação do plano de manejo. Hoje há uma forte antropização da área. O agronegócio devasta a cobertura nativa do Cerrado, a pulverização de agrotóxicos nessas plantações degrada o santuário que tem sido visitado por milhares de brasileiros, especialmente os residentes no Distrito Federal’’, frisou o deputado, destacando ainda a visitação de estrangeiros que fazem turismo no Brasil.

Outra preocupação é a possível construção de sete pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) no local. Grande parte do cenário da Chapada dos Veadeiros, de intenso turismo, cujo é a maior fonte da economia da população tradicional, seria absolutamente modificado pela inundação gerada com a cronstrução das hidrelétricas.
Acesse o link para obter informações das audiências: http://goo.gl/ZL7iX1

Fonte: Ascom Augusto Carvalho