A insensata greve da Saúde no DF

37
Foto: Reprodução


Print Friendly, PDF & Email

Por Simone Moraes

A área mais sensível de toda estrutura de qualquer governo é a Saúde. Porque envolve vidas e requer responsabilidades acima da média dos seus profissionais e dirigentes sindicais. Porém, uma entidade de categoria que não tem nenhuma responsabilidade com a vida das pessoas, convoca uma greve na base do “pé na parede”, utilizando a infalível animação de programa de auditório, e tenta barganhar um direito que é inalienável seu; os salários, mas de forma irresponsável. É o caso do Sindsaúde- DF

Uma matéria publicada no Blog Política Distrital no dia 13 de dezembro de 2014, já contava a história dos salários atrasados dos funcionários da Saúde, dizendo: “A primeira etapa do susto do não pagamento dos servidores do GDF passou, ao menos por hora. Isso porque no dia 20 de Dezembro o governador Agnelo Queiroz (PT) terá que honrar com o pagamento das Horas-Extras e do 13º salário dos servidores que aniversariam em Dezembro.  Àqueles em cargos comissionados também estão com a pulga atrás da orelha, pois devem receber na mesma data. Para piorar o cenário servidora do Hospital de Base do DF (HBDF) denuncia que o ex-presidente e atual tesoureiro do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Saúde do DF (SindSaúde-DF), Antônio Agamenon, coloca mais fogo na linha ao afirmar que servidores entrarão 2015 sem salário.

Ou seja, o Sindsaúde-DF já tinha ciência desde de dezembro do ano passado, que o seu governador, o insensato Agnelo Queiroz, iria deixá-los a ver navios neste final de ano. Na pressa de mostrar algum poder de fogo junto ao novo governo, a direção do Sindsaúde, convocou uma assembleia da categoria na manhã desta sexta-feira, e ela, a presidente do Sindicato, Marli Rodrigues, “sentiu” que a categoria queria uma greve. E decretou!

Veja o vídeo!

Publicidade

Fonte: Câmara em Pauta