Com atendimento frustrado, usuária puxa faca para servidor em posto de saúde do Recanto das Emas

Print Friendly, PDF & Email

 

Caso levanta discussão em torno dos verdadeiros responsáveis pela falta de atendimento e diretor do SINDATE-DF sugere que usuários acionem a polícia e denunciem governador e secretário de saúde em vez de se exporem e correrem risco de serem presas

Por Kleber Karpov

Um caso que está se tornando rotina causou uma discussão calorosa nas redes sociais. Uma usuária do Sistema Único de Saúde (SUS) visivelmente transtornada, for ter frustrado  o atendimento oferecido pela Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), no Posto de Saúde 01 de Recanto das Emas puxou uma faca, na noite de sábado (11/Nov), e ameaçou os servidores da unidade.

O acontecimento viralizou nas redes sociais e em grupos de Whatsapp e levantou a discussão em torno da pretensão da usuária do SUS de ferir os servidores, por portar uma faca. Mas o caso pode revelar um problema mais grave, a ‘quase’ certeza da falta de atendimento nas unidades de saúde do DF.

Confira o Vídeo

O caso foi publicado no Facebook, pelo diretor do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (SINDATE-DF), Jorge Vianna. Na postagem o sindicalista alertou para o perigo para os servidores, consequência do descaso do governador do DF, o socialista, Rodrigo Rollemberg (PSB).

“Paciente se revolta e “ puxa a faca” para servidor no posto de saúde 01 do Recanto das Emas. O governo sucateia, muda o modelo de atendimento, faz descaso com a população e o paciente se revolta com as pessoas erradas. O servidor sempre pagando o ‘pato’ e correndo risco de morte. E se não tivesse o vigilante na hora? Poderia acontecer uma tragédia. Meu Deus… 2018 chegue logo.. chega de maldade…”, postou Vianna.

Discussões

Em resposta a postagem, uma sugeriu que a mulher, não identicada, tivesse intenção de ferir alguém por portar uma faca na cintura. Mas uma servidora da SES-DF, que não será identificada por Política Distrital (PD), ponderou e apontou e reforçou o ‘cerne da questão’.

“A população culpa o servidor pelo descaso do governo com a saúde. Tira os médicos das unidades coloca em serviços burocráticos dentro dos hospitais e a culpa é de quem ta linha frente. É muito fácil fala qdo está do outro lado. As pessoas pensam que é agradável só ter o não para o paciente. Acorda povo a CULPA não é do servidor. (SIC)”.

O mesmo raciocínio foi seguido por uma terceira mulher que observou a tensão a que os servidores da SES-DF são submetidos.  “Na verdade a culpa é do Estado, que fazem tudo isso acontecer, não respeitam a população e os servidores, que na maioria das vezes já está estressado por todo dia ser chingado e humilhado por não fazer nada, mas não tem culpa. Infelizmente os servidores já não tem mais saúde psicológica pra ficar tanto tempo aguentando a população chingar e brigar.(SIC)”.

Uma usuária critica a falta de atenção por parte do médico da unidade. “Gente essa upa realmente é um descaso nunca tem atendimento . Cheguei lá com a pressão altíssima na ambulância do Samu , se não fosse o pessoal da ambulância que fizeram de tudo , teria morrido o médico nem se quer me olhou . Fiz o eletrô , deu alterações e ele disse que não ia me atender que eu ERA laranja não vermelho. Entendo a revolta dessa mulher pq todo mundo que já foi lá procurar atendimento já sabe.(SIC)”

Enquanto outra rebate as críticas e defende a categoria “Os médicos tbm são diariamente agredidos. É que ninguém filma e posta, mesmi pq ta dentro do consultório. Conheço casos de cadeirada, murro até mesmo em mulher. Lamentável a situação tanto dos pacientes como dos médicos e servidores da saúde. (SIC)”.

O mais interessante é que usuários e servidores que interagiram na postagem vão além de críticas de meras suposições e apresentam as causas por trás das revoltas.

“O governo retirou o pediatra e o ginecologista desse posto aí que atendiam muitas mulheres e crianças e muito bem. Aí agora tem um médico da saúde da família pra atender o mesmo público e sozinho. Aí os errados são os funcionários???? Doido são os que acreditam nesse desgoverno e na mídia jogando a culpa no servidor público. Acha que é descaso do funcionário? Venha passar uns dias aqui conosco. Seja voluntário!!!! (SIC)”, disse.

Mas mesmo com a ameaça os servidores também conseguiram entender o drama que a agressora poderia estar passando, sem suporte do Estado. “Ela deve estar no limite de stress e, com certeza precisando de atendimento chega no posto, chega no hospital não tem. Olha pra sua carteira, Olha pra sua vida e tb não tem nada!!! Só humilhação e sofrimento!!(SIC)”.

Felizmente, aparentemente, sem mortos e feridos, enquanto Rollemberg tem utilizado a mídia para tentar ‘destroçar’ os servidores públicos, a discussão para lá de acalorada, com quase 150 postagens, monstra que os servidores têm a noção exata do descaso do governo e da falta de gestão na Saúde pública.

Fica a dica

Em relação aos pacientes, Jorge Vianna falou ao PD e sugeriu cautela por parte dos usuários.

“Os pacientes, mesmo em situações de desesperos, precisam compreender que por trás da falta de atendimento, estão os mesmos atores, personagens que condenam, amarram e impedem a atuação qualificada e imediata dos servidores. O governador Rodrigo Rollemberg e o secretário de saúde, Humberto Fonseca, são os responsáveis pelo sucateamento dos hospitais e demais unidades de saúde, pela falta de insumos e medicamentos e também da quantidade suficiente de servidores para atender a demandas das unidades de saúde. Em vez de puxar uma arma, para tentar agredir um servidor, por mais desesperador que seja o momento, sugiro que os usuários acionem a polícia, vão até uma delegacia e registrem uma ocorrência contra esses dois senhores. Acionem o Ministério Público para que esses dois senhores sejam responsabilizados, em vez de termos servidores feridos e usuários eventualmente presos por cometerem um crime contra as pessoas erradas.”, disse Jorge Vianna.

As partes

PD entrou em contato com a SES-DF para questionar o ocorrido no Posto de Saúde de Recanto das Emas. Por meio de nota a Secretaria acusou a usuária, que mora na região, de ter “histórico de agressividade na unidade de saúde” e explicou a causa do problema, o resultado de um exame de Raio X.

“A superintendente da Região de Saúde Sudoeste, a qual pertence o Recanto das Emas, informou que a paciente procurou a unidade de saúde pela manhã para consulta e retornou à tarde para mostrar o resultado de um Raio-X. A mesma servidora que a atendeu pela manhã alegou que não havia possibilidade de atendimento naquele momento.”.

De acordo com SES-DF houve registro de um Boletim de Ocorrência e a equipe do PS 01 do Recanto das Emas deve se reunir nesta semana “para avaliar processo de acolhimento e escuta qualificada”.

PD não conseguiu contato com a usuária do SUS-DF que fez ameaças aos servidores.

Atualização 13/11/2017 às 12h02 para atualização de informações

0