Sinpol: GDF divulga dados incompletos sobre criminalidade do final de semana

Print Friendly, PDF & Email

O Governo de Brasília divulgou, por meio de suas redes sociais, que entre os dias 14 e 16 de junho de 2017 – último fim de semana – não foram registrados casos de latrocínio (roubo seguido de morte), homicídios e lesão corporal seguida de morte.

A informação, porém, não é completamente verdadeira, uma vez que dados obtidos pelo Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol-DF) apontam que, no mesmo período, foram registrados 9 (nove) ocorrências de homicídio tentado, 3 (três) ocorrências de latrocínio tentado, 3 (três) estupros consumados e 1 tentado. Portanto, segundo esses números, houve no período apontado pelo GDF uma média de 4 (quatro) atentados contra a vida, por dia, nas ruas da capital federal – uma vez consideradas as tentativas de homicídio e de latrocínio.

Os casos de estupros foram registrados no Recanto das Emas, Samambaia, Ceilândia e Lago Sul. As vítimas foram mulheres com idades entre 21 anos e 61 anos.

Os 9 (nove) casos de tentativa de homicídio, envolveram 15 (quinze) vítimas, todos homens. Em 7 (sete) situações foi utilizada arma de fogo. Nas outras 2 (duas), o meio empregado foi faca.

Percebe-se então que o Governo de Brasília tenta passar uma imagem de que a violência não existe ou diminuiu, o que não é verdade. A população precisa saber a real situação da criminalidade. Não concordamos com a manipulação da informação. Maquiar os dados faz com que o Governo deixe de investir recursos em segurança pública. E nada disso podemos admitir.

Fonte: Ascom Sinpol-DF

0